Encontrar a saída do labirinto!

Às vezes nos sentimos num beco sem saída.

Percebemos o que está nos acontecendo, sabemos o que deveríamos fazer…

Mas, e daí?!

É como se estivéssemos num beco sem saída!

Sentimo-nos divididos: o coração sabe o caminho, mas a razão nos permite “deixar barato”!

Paralisamos na solução do problema. Não conseguimos avançar.

Como perdoar?

Como relaxar?

Como recobrar o equilíbrio? A paz?

“Vencer o mundo é mais fácil do que vencer-se…”

Às vezes parece que quanto mais entendemos, menos sabemos…

Quanto mais avançamos, mais estancamos…

“Estou precisando é de umas férias!”

Precisaríamos, sim, de férias de nós mesmos!

De nossos padrões aprisionastes de viver.

Não podemos ficar eternamente no “olho por olho, dente por dente”.

Precisamos seguir em frente e não olhar para trás.

Se ficarmos dependentes das reações alheias nos chatearemos SEMPRE!

Teremos que enxergar as pessoas como elas são: GENTE! De carne e osso! Limitadas!

Falíveis! Mas não esqueçamos de nos incluir no meio delas.

São GENTE como A GENTE!

Se ficarmos presos às expectativas nossas e as dos outros, ficaremos presos num grande labirinto de dor. SEM SAÍDA!

Precisaremos deixar “tudo pra lᔠpara poder aspirar a outros valores.

A “recompensa” nunca virá das pessoas.

Na verdade, a única coisa que nos recompensará de fato, será podermos sentir a paz e o amor. Chegarmos até eles.

Mas, para isso precisaremos parar de nos apegar aos “detalhes”.

E TUDO serão detalhes nesta empreitada.

“Olhar somente a Ti, e não olhar atrás”.

Se nos distrairmos ou deixarmos vencer por nossas carências e vaidades seremos atraídos novamente para limitação de nosso olhar material.

Se quisermos alcançar a libertação, a paz e o amor, precisaremos nos abandonar para conseguirmos condições internas de… VOAR!

Fonte: http://www.psicologiaefe

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.