Em tempos de guerra...

Um fotógrafo internacional esteve em Bagdad no dia 1º de maio de 2003, quando Bush anunciou o fim da guerra, e ficou hospedado numa paróquia, ao lado de uma mesquita. O frei, padre da paróquia, 33 anos de idade, mostrou-lhe um vídeo que filmou durante a guerra.

Podia ver-se o horror das pessoas que se abrigavam na igreja enquanto as bombas e os mísseis caíam sobre a cidade, as famílias que passavam a noite sob a proteção da igreja ou rezavam ou partilhavam comida. Esse fotógrafo, então, perguntou ao frei se eram todos católicos, e ele respondeu que as pessoas da mesquita vizinha partilhavam com eles o espaço e a solidariedade. Essa história eu contei aos portugueses quando conduzia um momento de oração diante de Jesus Sacramentado na Igreja São João de Brito, em Lisboa.

É verídico, é real, é bem real que o mesmo acontece conosco. Longe das bombas e dos mísseis de autodestruição que põem abaixo uma cidade, um país, mas muito perto de bombas e de mísseis que atacam e destroem as famílias, os jovens, os casamentos, as vocações e principalmente a fé. Estamos, nós, perdidos neste tiroteio, ou melhor, bombardeio, em que quase acreditamos, ou estamos convictos de que o adversário é o vencedor.

Faço agora a mesma pergunta que fiz àqueles meus irmãos portugueses naquela noite fria do dia 21 de outubro de 2004: “Nos momentos de guerra, de conflito, para onde você vai? Para onde você corre? Onde você encontra abrigo? Onde você se esconde?” Com certeza você foge ou pelo menos tenta fugir. Certamente você quer um lugar seguro. Que lugar é esse? Os católicos da Paróquia de Santa Élia, em Nova Bagdad sabiam muito bem que havia um lugar seguro e não retinham essa graça só para eles, abriam as portas para acolher os outros. E você? Ainda não sabe?

Quero lhe apresentar um lugar, na realidade uma pessoa que verdadeiramente será o seu abrigo, porto seguro, refúgio, esconderijo nos momentos de tribulação, de desespero, de guerra. Seu nome é Jesus! E é Ele mesmo quem diz: “Vinde a mim, vós que estais aflitos sob o fardo, e eu vos aliviarei. Tomai meu jugo sobre vós e recebei minha doutrina, porque eu sou manso e humilde de coração e achareis o repouso para as vossas almas.” Como encontrá-Lo? Na Bíblia, na oração, na Eucaristia, na adoração ao Santíssimo…

Ele está no meio de nós! Corra para os seus braços, e faça a experiência de mergulhar no amor e no poder de um Deus que tudo pode realizar. Ah! E não esqueça de deixar a porta aberta para o irmão entrar, ele também precisa desse abrigo seguro.
Esse é o recadinho dessa semana. Estamos com saudades, viu? Aqui a cada dia que passa vai esfriando mais, estamos no outono. A missão continua, não pode parar.

Estas fotos na página são do encontro de arrecadadores e amigos da Canção Nova aqui de Portugal e da Missa e adoração em Leiria, cidade próxima a Fátima, onde nos reunimos todas as terças-feiras.

Quero fazer um convite.
No dia 04 de novembro, quinta-feira, às 21:00h no salão da Igreja São João de Brito, em Lisboa, eu e o Dunga, estaremos juntos para uma noite maravilhosa de louvor, pregação e música.
“Vem pra cá você também! Aqui vai ser bom demais!”

Na semana que vem tem mais. Qualquer coisa entre em contato: elianaribeiro@cancaonova.com

Abraços,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.