Em que você acredita?

Eu acredito que tudo concorre para o bem daqueles que amam a Deus, porque todas as coisas que envolvem a vida de uma pessoa, não acontecem por acaso. Elas fazem parte de um plano, onde uma mão, cheia de amor, cheia de misericórdia, uma mão invisível, vai governando a vida de cada um. Então, não há acaso, não há coincidência. Existe a providência de Deus que é uma manifestação desse amor.

Eu também acredito que o ser humano é bom; hoje nós vemos em muitos lugares a mídia divulgando imagens de guerra, de fome, de miséria, nós vemos muitos abusos, muitas injustiças, vemos homicídios acontecendo e tudo isso é passado nas nossas televisões, é divulgado através do rádio… Enfim, essa manifestação social é muito esmerada, é muito empenhada em comunicar aquilo que é notícia, mas a má noticia. E cria-se no mundo inteiro uma idéia de que as pessoas são más, que elas são cruéis e que a gente tem que se preparar para aquilo que nós vamos encontrar pela frente. Então, qualquer pessoa que anda no mundo, anda armada, anda prevenida contra aquele que é o seu semelhante, contra aquele que é seu irmão, aquele que é seu amigo.

Uma coisa que você pode observar é o comportamento das pessoas quando, por exemplo, elas andam de ônibus. Se a pessoa está à vontade, tem uma bolsa no colo, e se alguém que é mais ou menos suspeito, diferente e não está dentro dos padrões a que ela está acostumada, a primeira coisa que ela faz é colocar a bolsa no colo, abraçar a bolsa, fechar o rosto, virar o rosto, porque é uma maneira de se defender. Estamos acostumados com essa mentalidade de que as pessoas são más. É claro, é preciso ter prudência, não se expor demais. Mas o ser humano é bom e apesar de tudo isso que o mundo vem falando pra nós de que as pessoas não são tão boas assim. Eu tenho visto muita gente lutando pela vida, eu tenho visto muita gente fazendo o bem, eu vejo pessoas que sorriem umas pras outras, alimentam outras pessoas que são desconhecidas, pessoas que estão em busca das oportunidades de serem úteis, de ajudarem, pessoas que se dedicam em hospitais, ajudando pessoas que elas jamais conheceram, pessoas que dão assistência a outros que são jogados, verdadeiramente jogados em asilos, pessoas que foram abandonadas pelas suas famílias e são acolhidas por outras, porque no coração do ser humano há muita bondade.

Eu vejo que muita raiva, ódio, rancor, é por vezes, uma deturpação, uma perversão desse amor, desse desejo de manifestar o bem que existe dentro do coração das pessoas. E eu percebo claramente que o ser humano que é falho, é bom, apesar das suas fragilidades. A pessoa não é perfeita, ela tem seus defeitos, que nós podemos apontar em cada um, inclusive em nós mesmos. Se nós pararmos para observar um pouquinho da nossa história, da nossa vida, logo, logo, nossos defeitos, até muito mais do que nossas qualidades, vêm à nossa cabeça. Se quiser fazer a experiência é só pegar um papel e uma caneta, de um lado você escreve seus defeitos, do outro suas qualidades, coloque no papel para você ver, você vai perceber que nós temos uma facilidade muito maior de identificar nossos defeitos do que nossas qualidades. E no entanto, eu acredito e tenho experimentado isso, tanto em mim, quanto nas outras pessoas, e tenho experimentado que as nossas qualidades superam e muito, os defeitos que nós temos. Mas nós temos essa mania de valorizarmos e até sobre-valorizarmos os nossos defeitos. Mas se nós que somos falhos somos bons, existe essa bondade em nós, e o próprio Jesus já dizia isso: “Vós que sois maus sabeis dar boas coisas aos vossos filhos quanto mais o Pai do céu dará o Espírito Santo aqueles que o pedirem”, qualquer coisa para aqueles que o pedirem. Se o homem que é o homem, cheio de falhas, tem muita bondade em seu coração, eu não poderia deixar de dizer que, eu creio que Deus é bom. Deus é a maior bondade que pode existir, a bondade absoluta, Ele é toda a bondade que existe. Mas do que a bondade é o amor. Há um filósofo que dizia assim: “Não é importante saber que Deus existe, é importante saber que Ele é amor”. Porque se existisse um Deus que se importasse conosco, que diferença ia fazer para nós, sabemos que Ele existe, só para saciarmos a nossa curiosidade, saber que esse Deus existe e que Ele é amor, isso sim faz toda a diferença: Deus é amor!

E como assim Deus é amor?! Temos visto tantas coisas ruins acontecendo no mundo, se Ele é amor, então porque Ele permite o mal, se Deus é amor, porque há conflitos, há guerras?! Então a primeira coisa que precisamos saber é que Deus sendo amor, Ele não criou o mal, Ele não participa do mal. O que é o mal então? É justamente a ausência de amor. O mal não é uma coisa que existe, o mal não existe, o que existe é ausência de amor. Onde Deus está ausente aí há perversão, aí há maldade, e a criatura se converte naquilo que há de pior. Tem muita gente que diz: quem criou o demônio, não é? O demônio não foi criado, ele foi criado por Deus mas foi criado anjo, a partir do momento que ele se pôs fora do amor e que o amor deixou de fazer parte dele ele se perverteu, perverteu naquilo que ele é e denominamos demônio. a maldade é ausência de amor. Deus é amor e sendo amor, Ele não esquece. Deus não esquece seus filhos. Deus nos fez criaturas mas mais que isso, na primeira oportunidade que Ele teve Ele nos elevou da categoria de criaturas para filhos.

Há uma grande diferença entre uma coisa que você moldou, que você lapidou… entre uma escultura nós podemos fazer essa comparação. Se você pega um escultor, eu acho que ele jamais vai fazer essa comparação entre uma obra prima de suas mãos e um filho, por mais que ele tenha se esforçado, por mais belo que seja sua obra de arte jamais isso terá o valor e a dignidade de um filho dele.

Assim somos nós com Deus, somos obra das Suas mãos, Ele já nos ama, por isso, agora, nos ama muito mais porque somos filhos Dele, e sendo filho não somos esquecidos por Ele em nenhum momento da nossa vida. Podemos ter dificuldade em escutar a voz de Deus, podemos fazer perguntas e não encontrar respostas para elas – Não é que Ele não responda, é que nosso ouvido não está educado pra ouvir a voz de Deus muitas vezes. Eu falo português, mas eu passei um tempo em Portugal e, quando eu cheguei lá no país, eu ouvi um grupo de pessoas conversando e, eu tinha que parar perto do grupo para ver se eram alemães, portugueses ou franceses, porque meu ouvido não estava acostumado a ouvir a maneira como eles diziam as coisas. Então, às vezes eu via um grupo de portugueses conversando e eu tinha que parar para prestar atenção para conseguir identificar a língua, porque não estava acostumado com aquela maneira de ouvir o português. Só que com o passar do tempo meu ouvido foi se acostumando. Aí então, de longe, eu já percebia que era um grupo de portugueses. E de tal maneira meu ouvido se acostumou que quando tinha um brasileiro conversando de um lado e um português conversando de outro, eu tinha que parar para prestar atenção pra distinguir quem era quem, porque os dois eram tão familiares pra mim que eu já não sabia o que é brasileiro e o que é português. Com Deus acontece algo semelhante. Se não estamos acostumados a ouvir a voz de Deus, é difícil nós a identificarmos para poder decifrar as respostas que Ele dá às nossas perguntas. Então, nós é que muitas vezes não sabemos ouvir o que Ele nos diz.

E Ele também não abandona. Deus não abandona ninguém, em nenhuma situação. “Ah! O meu pecado é muito grande”. Alguém poderia dizer assim. Seu pecado pode ser grande, mas não é maior que o amor que Deus tem por você. Por pior que seja o crime cometido Deus nunca deixará seu filho. Deus não abandona ninguém.

Nós também somos acostumados com uma realidade de que todo mundo se esforça para se sobressair a qualquer preço. Então às vezes as pessoas passam por cima umas das outras para conseguirem aquilo são seus interesses pessoais. Não se importam em quem pisam. Pisam no melhor amigo, na esposa, no namorado, na namorada, no chefe, no empregado… O que importa é consegui aquele interesse particular, aquele interesse pessoal, em nome disso, traem-se as pessoas. Deus não trai.

Eu acredito que Deus não trai porque essa tem sido minha experiência. Deus não deixa de me ouvir. Deus não me deixa de lado. E se eu vacilo, e se entro na infidelidade, Ele permanece fiel a minha espera, eu posso voltar a hora que for, que Ele está me esperando. Eu não posso deixar de lhe dizer que eu O amo. Eu acredito n’Ele, acredito que Ele é o meu melhor amigo. Ele é a pessoa mais especial da minha vida.

Sou casado tenho esposa, tenho filhos e os amo apaixonadamente, mas eu amo demais a Deus porque Ele me amou primeiro. Eu acredito n’Ele. Se eu pudesse resumir numa única frase naquilo que eu acredito, eu só poderia dizer: “Eu acredito em Deus e acredito no Seu amor”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.