Ela sempre esteve presente

“Vida nenhuma pode nascer se não tiver mãe para dá-la. Parcela alguma de graça divina pode brotar em você, sem que esteja presente o amor fecundo de Maria…”

Esta frase cujo autor não me recordo agora, me chamou muito a atenção no que se refere ao amor fecundo de Maria. Amor que se dá sem reserva alguma, amor de entrega, de doação…

Assim foi o amor de Maria quando desde muito jovem recebeu o anúncio do anjo Gabriel dizendo que ela conceberia por obra do Espírito Santo e daria à luz um Filho.

Quem de nós ao cantar o Magnificat (Lc 1), não se emociona em ver a grandeza do ato de entrega de Maria, colocando-se como a “serva do Senhor”?

Desde muito pequena sempre amei a virgem Maria. Eu a achava linda e sentia-me atraída pela ternura do seu olhar, expressada tão bem nas suas imagens.
Minha mãe me ensinou, na sua simplicidade, que Maria atende às nossas preces. Por isso, sempre a tive no coração e nunca me deixei levar pelo que as pessoas diziam erroneamente sobre a mãe de Jesus. Pelo contrário, busquei nela o modelo de uma mulher que soube ouvir a Deus e dizer “Sim” ao Seu chamado.

Providencialmente recebi o meu primeiro nome de Maria, e ele resume todas as características que preciso ter. Agora, na fase adulta, sua presença discreta em minha vida tornou-se mais real. Então compreendi que foi ela quem me livrou de tantas ciladas que o mundo me apresentou a fim de me desviar do plano de Deus.

Em todos os momentos, ela me auxilia para que eu busque tão somente o que o Pai reservou para minha vida. Procuro imitá-la no vestir, no falar e em todas as minhas atitudes. Não consigo realizar algo sem pedir em primeiro lugar que ela esteja à frente, abrindo os caminhos. Sua presença é constante em minha vida, e porque ela esteve em pé diante da cruz de Jesus, também me ensina a estar firme diante das dificuldades do dia-a-dia.

Maria de tantos nomes, aclamada e venerada em todo o mundo, nos ensina que é possível realizar o plano de Deus na docilidade e na humildade:
“Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc1,38).

O chamado hoje para toda a humanidade é o de ouvir a Mãe.
Que Nossa Senhora hoje o conduza pelo caminho da santidade e que reclame do Céu todas as graças necessárias para a sua vida.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.