Ela me buscou no quartel

Dia 12 de outubro, essa data é muito especial para todos nós católicos aqui no Brasil, pois celebramos a “Padroeira do Brasil”: Nossa Senhora Aparecida. Para mim também, de alguns anos para cá se tornou ainda mais especial.

No ano de 1995, fui selecionado para o serviço militar, cuja a arma era a Artilharia. Até então, eu ia a Igreja, até mesmo tocava nas missas, mas não era assim tão assíduo. Porque jovem, você sabe, não é? Igreja é só pra velho… eu queria mesmo é curtir a vida, sair bastante com os amigos, ir pra bailes, barzinhos, enfim, aproveitar a vida.

Até que eu quis servir o quartel, fui tranquilamente para lá, mas algo me dizia que não seria fácil, ou que minha vida dali para frente tomaria novos rumos. Apesar de que ainda não tinha nem me formado no 2º grau, porém, percebia que estava iniciando ali uma nova etapa da minha vida.

Enegrecei em março.Lembro que foi uma semana após o carnaval, que eu gostava muito, e tinha aproveitado o máximo, bebendo todas e mais algumas. Era como que se fosse uma espécie de despedida.

Após Ter ingressado no serviço militar, quase que não participava das coisas da Igreja, pois a casa de meus pais era 60 km de distância, não tinha dinheiro para ir lá toda a semana, ou de 15 em 15 dias.

Então o quartel era a minha casa e por ser puxado o ritmo da vida lá, principalmente nos 3 primeiros meses, devido ao período de adaptação, acabava dormindo logo cedo ou saia para as farras com uns colegas de vez em quando.

Por eu ter tido esse contato com a Igreja, por minha família ser católica, principalmente minha mãe, mulher de muita oração; pedi que me arrumasse uma Bíblia para eu ler. Lia, mas não entendia nada, porém, algo me impulsionava a ler e cada vez que eu lia marcava em um pedaço de papel. Hoje eu sei que era Nossa Senhora preparando e regando meu coração com a palavra de Deus.

Houve uma ocasião que eu tinha pego punição: fiquei trinta dias sem sair depois das 21 horas, poderia até sair a tarde quando acabava o expediente, mas antes das 21 horas tinha que me apresentar para o sargento ou para o tenente no corpo da guarda. Providencialmente, isso ocorreu em uma parte do mês de outubro e o dia 12, graças a Deus estava incluso.

Aqui no Brasil demonstramos de várias formas a nossa religiosidade, nesse dia, principalmente se solta muitos fogos e foi o que aconteceu. Já havia alguns dias que eu estava lendo a palavra de Deus todas as noites, quando no dia seguinte, que era o dia 12, logo de manhã, por volta das seis, não tinha “ninguém” no quartel, pois era feriado, foi então que eu recebi a visita de Nossa Senhora, não é que ela apareceu para mim,lembro como se fosse hoje. Quando começaram os fogos, eu acordei, caí de joelhos no chão, abri a janela do alojamento que estava rente a minha cama e comecei a chorar, e chorar, e chorar… não entendia o que estava acontecendo comigo… parecia que eu tinha sido envolvido por uma força interior tão grande que eu não me contive… depois saí chorando pelo alojamento afora, sem entender nada e até com um pouco de receio de encontrar alguém.

Só sei que em mim tudo havia mudado a partir daquele dia. Por causa da punição, só ia sair em abril. Consegui sair em novembro. Não ia mais pra farra com meus colegas. Saindo de lá, logo quis fazer experiência de oração, voltei para a Igreja, comecei a participar do grupo de oração, enfim foi uma reviravolta em minha vida.

Com o passar dos anos, o Senhor me revelou em momentos de oração, o que tinha acontecido comigo naquele dia. Lembrei, que quando eu chorei naquele dia no quartel, vinha no meu coração uma pequena imagem de Nossa Senhora Aparecida e que também eu chamava pela minha mãe daqui da Terra, que não sentia tanta saudade, pois já tinha me acostumado lá.

Só sei que “ela foi me buscar no quartel”, não tenho duvida alguma disso. E que estou sendo treinado e combatendo a cada dia para salvar almas para Jesus, o seu Filho, no qual eu coloquei toda minha vida, e sou muito feliz.

Sou seminarista, estou no 2º ano de Filosofia, trabalho na rádio Canção Nova, e de Segunda a Sábado rezo o terço ao vivo via satélite, pela rádio e internet das 23h às 24h. Amo o que faço e dou o melhor de mim para que “Ela” como Senhora e seu Filho Jesus, que é o Senhor, sejam conhecidos em todo mundo.

Desejo a paz de Jesus e o amor de Maria a você internauta. Que nesse dia tão especial para nós, você também possa receber a visita daquela que gerou o Filho de Deus em seu ventre, e te ensine a gerar Jesus através de seus gestos e ações.

Um abraço,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.