É hora do sim

Neste mês, coloco para você a necessidade do amor de Deus, que habita em nós, vir para fora. Nos dias que estamos passando tanta violência, precisamos colocar em
funcionamento este amor de Deus que está em nós, procurando aflorar os sentimentos que Ele tem por nós.

Veja, o amor de Deus está trans-bordando, mas muitas vezes pelos seus problemas, você anula o que Deus quer fazer por você. Por que estou lhe falando isto? Porque lhe proponho fazer uma corrente de amor. Como será?

Primeiro: você reze, mergulhe em Deus. Veja suas ações, assimile em sua vida os sentimentos que Deus quer que transborde de você para os outros. Se encha do desejo de vencer-se a si mesmo nas suas fraquezas, e vamos passar esta graça para outro. Se nós conseguimos passar esta graça para três pessoas ao longo do nosso dia, não podemos calcular a grande evangelização que estaremos fazendo neste tempo. Resumindo: passar Deus vivo e vivido. Senti em partilhar aquilo que estou vivendo forte em mim.

Agora, falando da Canção Nova, Obra de Deus, partilho o que pretendemos realizar no decorrer de 2002, contando com a apro-vação do Senhor. Nossa previsão orçamentária deste ano, como já tive a opor-tunidade de expor, é de: quarenta e seis milhões e oitocentos mil reais de despesas fixas; e de onze milhões e seiscentos e quinze mil reais de investimentos.

Como você percebe, vai ser uma luta. Por isso, quero ainda propor que nós, da família Canção Nova, vivamos em conjunto um verdadeiro: PAS, isto é: Por Agora Sim. Sim na luta diária; Sim na nossa fidelidade; Sim na divulgação da Rádio, TV e Portal cancaonova.com, na Internet; Sim na nossa cria-tividade para angariar fundos; Sim no falar bem da Canção Nova; Sim no ajudar alguém que, por não entender esta obra, a critica pondo-se contra.

Porque o mais importante é sermos transparentes. Comu-nique-se conosco naquilo que lhe causa dúvidas. Demos um Sim à sinceridade e à fidelidade. Isto tudo é para que vençamos a meta do ano 2002. Finalizando, quero aqui colocar uma oração feita pela minha esposa, Luzia Santiago:

“Como Jesus obedeceu ao Pai até a morte, e morte de cruz; tornando-se o nosso Intercessor, cada um de nós devemos levar o fardo uns dos outros, como nos manda a lei de Cristo. Ele se deu inteiro vencendo a morte na cruz. Como ele, nós nos damos, praticando o bem sem fraque-jarmos. A espelho de Jesus, nos tor-nemos intercessores uns dos outros. É uma graça que está ao alcance de todos, pois é obra de amor e fidelidade. Quando isto acontece em nós, pelo poder de Deus, em união com todos os irmãos e irmãs espalhados pelo mundo inteiro, contra todo o mal, dizemos: “NÃO É PESADO O MEU IRMÃO”!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.