Dunga:

A Renovação Carismática Católica (RCC) ajudou muito – mas muito mesmo – na minha recuperação. Eu não fui um viciado em drogas, mas fui um usuário, e, quando a droga estava tomando uma proporção maior na minha vida, foi justamente quando a RCC entrou na minha vida. Eu atendi os conselhos da minha mãe e fui procurar uma Igreja.

Realmente esta passagem do velho para o novo se deu justamente por causa disso, por causa dessa participação, de estar no meio de pessoas que pensam coisas boas, que pensam coisas “para frente”, que fazem coisas certas. Isso tudo, contagiou o meu coração e, lá pelo segundo ou terceiro mês, eu já me sentia um deles; parecia que eu estava lá há mais de vinte anos. Tudo isso me ajudou muito, esse clima de oração, de fraternidade, de Igreja, acelera muito o processo de quem está saindo das drogas, de quem está precisando se recuperar de um vício ou coisa assim. E, é claro, a minha luta pessoal continua até hoje, porque, na realidade, nós temos uma tendência a obedecer um pouco à carne.

A carne contrapõe-se àquilo que é vontade de Deus e ação do Espírito Santo. Com certeza absoluta, aquilo que eu conheci como luta, que era sair das drogas, hoje, eu preciso lutar tanto quanto, para sair de outras situações. Às vezes, elas são um pouco maquiadas e, às vezes, nem nós conseguimos detectar, como, por exemplo, vaidade, orgulho, o ter ao invés de ser. Enfim, tudo isso me leva, hoje, a entender que rezar, partilhar, ser amigo, ter amigos na Igreja, ter um círculo de amizades que nos leve a pensar coisas boas, a fazer a coisa certa, vai nos tirando gradativamente de situações e armadilhas que vão continuar a ser armadas na nossa frente, ao longo de toda a nossa vida.

Não é porque eu sou da Comunidade Canção Nova, hoje, já há quatorze anos, que eu estou isento de situações semelhantes a esta. Realmente nós precisamos nos policiar; a Palavra de Deus já diz: “Quem está em pé, tem que cuidar para não cair”. Isso cabe a nós, a Palavra é para nós, que estamos em pé. Graças a Deus, temos o PHN (Por hoje, não vou mais pecar)!

Eu sou casado, tenho três filhos, estou na Comunidade, sou membro do Conselho da Comunidade Canção Nova, mas, eu estou em pé? Estou, mas tenho que me cuidar todo dia para eu não cair, e, isso não significa fraqueza da minha parte, significa encarar os fatos como eles são, ou seja, o que a Palavra de Deus quer dizer é: Você está em pé, então, tome cuidado, reze, estreite as amizades sinceras, fortaleça-se para que você nunca caia, porque se você cair, quanto mais alto, maior o tombo.

Hoje, como estou no caminho de Deus, um tombo seria muito grande e, dificilmente, conseguiria me levantar do tombo. Então, eu não posso cair e, para não cair, tenho que rezar, que comungar, conviver, tenho que ser amigo, que ter um padre confessor.
Enfim, essa é a grande luta, e eu acredito que será a grande luta de todos aqueles que levam uma caminhada com Deus a sério.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.