Deus me falou

Olhando um cãozinho abandonado na rua, fiz uma linda experiência do amor de Deus.

O cãozinho estava magro, com doença de pele (suponho que sarna), e por causa de sua aparência um tanto desagradável, muitas pessoas o rechaçavam, às vezes com brutalidade. Ninguém percebia que embora doente, aquela era uma criatura de Deus, ser irracional, é claro, mas organismo vivo que sente dor, fome, frio…

Apesar do desprezo a que estava sujeito, o cãozinho não desistia. Algo o impulsionava a abanar o rabinho e a se levantar, na ânsia de obter um carinho, talvez um resto de comida, toda vez que um pedestre por ali passava.

Comovi-me com a situação, naturalmente, e logo pensei em Deus. Vi que eu muitas vezes fui um “pedestre preconceituoso” que talvez por medo de me comprometer, ou por falta de tempo, neguei meu carinho, minha atenção a Ele.

Outras vezes fui grosseira, optei pelo meu erro e O desprezei com tamanha determinação que Ele somente pôde respeitar minha decisão e abaixar a cabeça triste, vendo-me ir embora iludida.

Também aconteceu de Ele estar presente num irmão que passava e eu estar tão satisfeita e distraída que pensei não ser tão necessário ajudá-Lo.

Notei que aquele cachorro tinha mais humildade que eu. Quantas vezes, vencida pelo orgulho, jogo tudo para o ar e nem tento recomeçar alguma coisa que não deu certo! Também não reconheço minhas fraquezas, meu nada, minhas limitações, esquecendo-me de que, para continuar vivendo, dependo da ajuda Daquele que me criou.

Diante de tudo isso, alegrei-me em lembrar que, assim como aquele cãozinho perseverou, o Senhor não desistiu de mim. Insistiu, extraiu forças de onde não tinha para me comprar com Seu sangue. Levantou-se depois do meu pecado que O feria e me perdoou. Pediu mais uma chance para que eu me deixasse amar, ainda que eu O tratasse com brutalidade.

Ele aceitou meu resto de tempo, minhas migalhas de oração, minhas esmolas tão pobres com tamanha alegria como se eu estivesse Lhe dando a primazia dos meus sentimentos e da minha vida.

O Senhor me conquistou pela perseverança, pela não desistência. Como um cãozinho que batalha diariamente por um pouquinho de comida, Ele lutou diariamente, sem precisar, para que eu O aceitasse e recusasse o pecado.

Bendito seja o Senhor que sabe como educar Seus filhos. Bendito seja Ele por me amar incondicionalmente e demonstrar Seu amor nas pequenas coisas. Ele fala conosco até por uma criatura que muitos até nem notam. Ele é o Deus que vê, ouve e está atento a todas as nossas necessidades.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.