Deus confiou no homem

Tudo isso fala muito a nós, homens. A José nos aponta a nossa responsabilidade de esposos, de pais, de padres. Está na hora de nós, homens, realizarmos, em nossa vida, o projeto de Deus para nós. Homens que assumam a sua posição. A maturidade própria de José, homem de trinta anos. Deus criou o homem para ser chefe. Não para estar por cima, para ser dominador, mas para ser chefe. Aquele que assume, aquele que carrega. Eu não sei o que é mais importante: se é a máquina que puxa ou os vagões que vêm atrás.

Certamente, é mais confortável ser vagão que vem atrás. Ma sé preciso uma máquina que puxe. Deus constituiu o homem para ser a máquina. Essa é a sua missão. Essa é a vocação do homem. Seu primeiro chamado é ser homem de Deus: quem o criou foi Deus, quem o chamou foi Deus, quem lhe deu a missão foi Deus. Nessa humanidade que caminha para Deus, o homem foi colocado como locomotiva. Ele foi feito para puxar toda essa humanidade rumo ao céu. O homem foi feito para arrastar. Ele é que deveria arrastar a sua esposa e não ser arrastado por ela.

Ele é quem deve abrir caminho e arrastar os filhos. A mulher é a sua companheira e auxiliar que leva os filhos pelo coração, mas quem arrasta para Deus é o homem. Deus quer homens másculos, fortes, robustos, para ser locomotiva, para levar para Deus, de onde veio e para onde vai essa humanidade. Arrastar todos aqueles que Deus lhe confiou. Deus confiou ao homem uma família, como confiou a José. Deus entregou-lhe uma mulher, entregou-lhe filhos, como entregou a José.

Nós, homens, infelizmente, não temos levado a sério nossa missão. Levamos a vida como uma diversão: bar, amigos, cerveja, mulheres… Continuamos pensando que o homem dá um duro no trabalho e por isso tem o direito de “se divertir”. Jogo e bebida para divertir… Noitadas e mulheres para se divertir… Tudo para se divertir! Olhando para São José, vemos como é linda a nossa vocação de homem. Deus confiou no homem e lhe entregou uma mulher, do mesmo modo que entregou Maria a José. Deus, que é Pai, entregou ao homem a missão de ser Pai. Deus lhe confiou filhos para criar. São filhos de Deus, mas Ele os entregou ao homem para cuidar. Deus confiou em nós.

O homem precisa se re-ligar urgentemente com Deus. Religião não é apenas coisa de mulher ou de criança. Religião é, antes de tudo, coisa de homem. Porque o que olha para frente, o que aponta para a meta, o que arrasta para o ponto de chegada é a locomotiva. É a máquina que vai à frente. É preciso que ele fixe o seu olhar para onde está a finalidade da vida: Deus. É preciso que ele saiba que não vai sozinho para lá. Ele vai com uma família: sua mulher e seus filhos.

Os homens têm se mostrado tão sem visão e tão irresponsáveis, que são as mulheres que têm assumido o lugar da locomotiva. São elas que, sozinhas, têm empurrado para frente este trem: maridos e filhos. São elas que têm olhado para Deus, para a meta. São elas que têm sido responsáveis. Têm buscado dentro de si força sobre-humana para levar para frente toda composição da vida. Quantas mulheres têm carregado nas coatás a família inteira, até mesmo homens irresponsáveis, que vivem brincando com a vida.

Está na hora de mudar tudo isso. É preciso que os homens reassumam sua responsabilidade e sejam homens com todas as letras maiúsculas e não apenas o H. É ser homem total: de corpo, de alma, de espírito. Retomar a sua missão: ser o chefe da casa, o cabeça da família. O homem de Deus por Ele escolhido, em quem Deus confiou como confiou em José. Para quem Deus entregou uma família.

A graça de ter uma Maria e um menino Jesus não foi só para José. A mulher que Deus confia ao homem é tão amada e querida por Ele quanto Maria que confiou a José. Os filhos e as filhas que Deus lhe entregou são tão preciosos para o Pai quanto o Filho que o Pai confiou a José.

Os filhos que você tem, os filhos que você, como jovem, vai ter, são tão preciosos para o coração do Pai quanto o Filho Único que o Pai tem, que é Jesus. Ele confiou esses filhos a você como confiou Jesus a José. Por isso, você não pode brincar com a sua escolha, com a sua paternidade, com a missão que Deus lhe entregou, com a confiança que em você Ele depositou.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.