"Conhecereis a verdade e ela vos libertará!"

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará!” (Jo 8,32)

Essa é uma das passagens da Bíblia que mais me fala ao coração. Cristo é a verdade Ele é o nosso libertador!

Jesus é aquele que revela a verdade, Ele é a verdade, o caminho e a vida. A verdade nos aproxima mais de Cristo, porque ela nos aproxima ainda mais de nós mesmos, assim podemos entrar naquilo que fala Santo Agostinho: “Quanto mais humanos, tanto mais divinos”.

Jesus assumiu nossa humanidade até o fim e, a verdade de Cristo é o Verbo que se fez carne e habitou entre nós, cresceu em estatura e graça por nós, revelou-nos o Pai por amor a nós, Se deu na Cruz, morreu e ressuscitou por amor a nós e vive eternamente. Quando sabemos disso, recebemos a graça da libertação, a assumimos, pois ela já nos foi dada. Em muitos momentos, destemidamente, Jesus assume diante de muitos que Ele era o Filho de Deus e em nenhum momento escondeu essa verdade, pois Ele sabia o poder libertador que esta possui.

Jesus nos ensina a viver assumindo, sob Sua luz, toda a verdade.

Não podemos deixar passar um só momento que nos possa revelar aquilo que somos em todos os instantes podemos nos despertar para nós mesmos e perceber nos fatos, quem somos, como somos e onde podemos ser melhores.

Muitos fatores históricos podem nos levar a nos esconder de nós mesmos, é preciso ter a coragem de nos desarmarmos. E o que seria esse “desarmar”?

Faça uma leitura da sua história, eu até aconselharia você a fazer a experiência de escrevê-la e rezar sobre ela: sua infância, adolescência, juventude, fase adulta… você compreenderá tantas coisas que você vive, hoje, e que ainda não têm resposta.

O caminho é unir-se a Cristo, que é a Verdade, e caminhar sem medo sobre a Sua verdade a Sua história… é ser curado.

Dê significado, sentido, aos momentos que você está vivendo, hoje; não viva nada em vão, sobretudo as situações de dor. Você conseguirá passar por elas de maneira que possa amadurecer e resolver muitas coisas que estão no seu interior.

As perdas, sejam elas quais forem, podem desencadear sentimentos passados de rejeição, de abandono, de solidão, por exemplo. Porém, diante de uma perda é preciso primeiro se permitir sofrer somente por aquilo que é real, a perda presente, do tempo presente, e, as más lembranças precisam ser identificadas e resolvidas. Faça essa pergunta a você mesmo(a): “Quais são as coisas que me fazem sofrer hoje, no presente?” Quais os sentimentos que, somados a esses do presente, o fazem mergulhar num mar de angústia e dor? Desarmar-se é assumir para si mesmo aquilo que se vive, sem máscaras, sem a “roupa de Mulher Maravilha” ou de “Super-Homem”, do tipo que nada abala, nada atinge, que tem sempre aquele discurso na ponta da língua quando indagado quanto ao seu sentimento “Eu estou bem, isso não me afeta!” Ou, muitas vezes, nem é preciso falar nada, mas basta a pose de super-forte para dizer que estamos nos escondendo de nós mesmos.

Você já parou para pensar que de repente sofreria menos por coisas passadas se na época em que elas aconteceram, você tivesse tido a coragem de vivê-las e resolvê-las? Saia da superfície consigo mesmo e com Deus! É claro que muitas coisas acabamos fazendo num mecanismo de defesa, inconscientemente, mas uma hora a “ficha cai” e essa é a hora da graça, é a hora de não querer se esconder mais, olhar, assumir e resolver por mais que seja sofrido. Mas veja, assumir para VOCÊ, coerentemente, sabendo que a sua vida, apesar dos sofrimentos, deve refletir Cristo, que é a nossa força e nossa alegria. Isso quer dizer que, assumir, reconhecê-los não é prostrar-se, e sim, reagir, transcender.

Minha mãe tem um senso de humor incrível, é uma mulher muito de Deus e sempre, nos momentos difíceis, costuma dizer: “Sem sofrimento não tem GRAÇA!” Reescrevendo a minha história – pois eu partilho com você – de experiência, fiz essa descoberta, aprender a viver com o sofrimento e superá-los fez parte da minha educação. Fazer essa experiência também é tocar em coisas boas, positivas, como essa descoberta que fiz e, tenho feito tantas outras boas descobertas… é reconhecer e assumir o seu valor diante de Deus.

Assim, vamos nos libertando de tantas coisas: de medos, complexos, traumas, coisas que ao longo de nossas vidas assimilamos e, livres, nos tornamos mais semelhantes a Cristo, o Libertador, Aquele que porta toda Liberdade. Não há perfeição, não há santidade sem a verdade, sem a cura, sem que tenhamos caminhado por toda a nossa vida na busca de nós mesmos e, assim, sermos livres para nos encontrarmos com Cristo PROFUNDAMENTE.

Comece agora!
Uma boa e santa experiência para você.
Com orações,

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.