Como é construída a personalidade?

A personalidade é construída a partir do encontro com as outras pessoas, principalmente com a própria família. Geneticamente, já existe uma pré-disposição à algumas características da personalidade, mas é justamente no encontro com os outros que ela vai se construindo e se tornando realidade.

Desde a gestação isso já vai acontecendo. O pai e a mãe criam uma expectativa em torno da criança. Que expectativa é essa? A expectativa faz parte da história tanto do pai, quanto da mãe, seus sonhos, planos, que acabam influenciando na vida do filho e como conseqüência na formação da sua visão de mundo. Os pais pensam no nome, no sexo da criança, no futuro, em muitas possibilidades, e com isso antes mesmo do nascimento a criança, já ocupa um lugar no coração das pessoas e no mundo.

Também podemos pensar na questão do desejo, se a criança é amada ou não, se é esperada, se é encarada como empecilho, se é acolhida, tudo isto irá, sem sombras de dúvidas, influenciar na forma em que essa criança se colocará no mundo. Portanto, essas primeiras relações parentais são importantíssimas, pois provocam dentro da criança conceitos a respeito do mundo e dela mesma, isto é a construção da personalidade.

Neste sentido, fica evidente que o componente afetivo é um “motor” muito importante e decisivo para o desenvolvimento humano e da personalidade. A quantidade de amor que a criança recebe desde a gestação, depois do nascimento e no decorrer da infância, com certeza, será primordial para a formação da sua personalidade. Assim, compreender o valor familiar, o valor do pai e da mãe nesse processo, são eles que irão proporcionar afeto, amor necessários para esse tempo de construção.

A mãe e o pai no manuseio para o banho, troca das fraudas e todo o acompanhamento diário simples, supre as necessidades básicas do bebê e ao mesmo tempo oferece segurança existencial.

Mediante todo o relato anterior, podemos considerar complicado quando uma criança é abandonada, ou até, se sente, nestes períodos, rejeitada, privada de amor, pois existe uma probabilidade, digo probabilidade, de cada pessoa ao se sentir assim, apresentar problemas emocionais, dos mais simples aos mais complicados, ocasionando quem sabe distorções na percepção da imagem de si mesma (sentimento de inferioridade, auto-estima baixa).

Freud (o pai da psicanálise) vai dizer, que aproximadamente, de dois aos quatro anos de idade, ocorre concretamente a estruturação da personalidade, com a resolução do complexo de Édipo. Assim podemos salientar o importante papel do pai e da mãe, ou quem realiza essa função para que a pessoa possa se constituir o mais resolvida possível.

Uma dica, a respeito de tudo o que foi dito anteriormente: é importante que os pais busquem bons profissionais em que possam confiar para ajudá-los. Se existe uma dificuldade para estar aceitando a gravidez, principalmente mães solteiras, ou uma gravidez que não foi planejada e/ou chegou num momento não-adequado, buscar um profissional para ajudar. Ou ainda se precisam melhorar a relação com o filho ou não conseguem se responsabilizar pela escolha de ser pai e mãe, que eles possam também procurar ajuda pois essas dificuldades, podem com certeza, influenciar na formação da personalidade de seu filho, que é construída principalmente na infância.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.