Com as asas do Espírito Santo

É fácil identificar Judas Iscariotes em qualquer representação da Santa Ceia. Lá está ele sempre com um saquinho na mão. É o saquinho do dinheiro. ‘Era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam’(Jo 12,6). Maldita bolsa! Maldita ganância! Vendeu Jesus e com o dinheiro comprou um terreno onde se matou, arrebentando-se pelo meio e tendo suas entranhas derramadas, como nos conta Pedro em seu discurso em Atos 1,18.

A gente tem pena de Judas. Com tantas possibilidades, escolheu o ‘Campo de Sangue’…( assim foi chamado o terreno comprado por ele). Perdeu inúmeras chances na vida. Talvez tenha perdido a vida eterna, o que é bem pior. Perdeu a grande oportunidade de ‘ficar repleto do Espírito Santo’ naquele Pentecostes extraordinário, onde Matias já ocupava seu lugar.

Não está escrito quantos anos Judas teria, mas, quando penso nele, penso em muitos jovens do nosso tempo, que jogam fora as oportunidades que Deus lhes dá e preferem agarrar-se à ‘sacolinha da maldição’.

Refiro-me às drogas, aos vícios e aos desvalores atuais. ‘Arrebentam-se’ ao meio e deixam derramar-se por terra suas entranhas e o que há de mais belo em suas vidas: a família, a dignidade, a própria vida.

Como Judas, são pessoas que sonham, que querem mais, que não se contentam com pouco, que ‘desejam comprar um terreno’ (uma moto, talvez…). Não há nada de mais em Ter sonhos, em desejar voar mais alto. O problema será sempre em que tipo de asas que se usa para o vôo. Judas usou asas manchadas de sangue inocente, o Sangue do Cordeiro. Seu vôo culminou com um estatelar-se trágico ao chão. Há jovens hoje que sonham com grandes vôos e usam asas empoeiradas de Cocaína…

Alguns arrastam-se com asas pesadas. É o peso das pedras de craque. Judas podia, como Matias, e os outros apóstolos, experimentar o vôo fantástico de Pentecostes… com asas do Espírito Santo. Que pena!

Como eu gostaria de ajudar os jovens hoje a entenderem que nasceram para grandes vôos… vôos de águia e não de galinhas. Como eu gostaria de dizer aos jovens: ‘sejam jovens que façam valer a pena e não jovens que dão pena!’. Pelo menos aqui eu posso dizer e quero dizer: ‘Jovens, entrem no Cenáculo. Se até hoje você foi Iscariotes, deixe-se transformar em Matias. Jesus está escolhendo você para fazer parte de seus amigos. Entre no cenáculo, feche as portas para o mundo… para os desvalores… não por medo dos judeus (Jo 29,19), mas porque é preciso abrir-se ao fogo transformador’.

Jovem, você não nasceu para acabar num campo de sangue. Você não foi chamado à vida para arrebentar-se pelo meio e arrebentar com você sua família e as pessoas que amam você. Pare, jovem! Peça à Maria que te conduza ao Cenáculo. O Cenáculo hoje pode ser o grupo de oração de sua paróquia. Vai lá!!! Os frutos serão abundantes. Na carta aos Gálatas está bem claro, no capítulo 5, que não vale a pena ficar com a sacolinha do Judas. Nela só há ‘fornicação, impureza, libertinagem, idolatria, supertição, inimizades, brigas, ciúmes, ódio, ambição, discórdia, partidos, inveja, bebedeira, orgias e outras coisas semelhantes’ (Gl 5,19-21).

Jogue fora a bolsinha de Judas! Entre no Cenáculo, fique lá em oração com Maria, Mãe de Jesus, e aí você vai levar um banho… banho de fogo, banho do Espírito… Olhe, leia na carta aos Gálatas 5, 22-23, e veja o que você vai ganhar!

Veja lá os frutos do Espírito, quais são, e encha a sacolinha do seu coração desses frutos. Vai!!!

Pe. Antonio Maria – Cantor e Compositor
Revista: Brasil Cristão

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.