Carência X Namoro

Hoje em dia muitas pessoas começam um namoro de forma errada, pois se esquecem que em toda obra é necessário primeiramente a construção de um alicerce principal, que será fundamental para o sustento de toda obra.

Este alicerce, esta base inicial, é construída durante a amizade, a partir de muito diálogo, para que um conheça o outro profundamente, e este conhecer profundamente implica em conhecer as qualidades e os defeitos que todos nós temos. E o porquê disto? Porque é necessário que analisemos as qualidades e os defeitos da pessoa a quem estamos querendo namorar, para saber, se diante de nosso jeito de ser, com nossas qualidades e nossos defeitos, nós iremos conseguir conviver com esta pessoa.

Em outras palavras, é preciso que tenhamos consciência do passo que estamos dando na vida, pois o namoro é uma base sólida que conduz ao matrimônio, por isso devemos fazer as contas para ver se estamos prontos para a construção desta base, como nos ensina a Palavra de Deus a respeito disto.(Lc 14, 28)

O que acontece infelizmente hoje em dia é que, por não existir este alicerce inicial, as pessoas acabam conhecendo verdadeiramente a outra depois de já estarem namorando, e quando se deparam com os defeitos e percebem que não conseguem conviver com eles, terminam o namoro e se frustram.(Lc 14, 29-30)

Outras pessoas começam um namoro na busca de preencherem um vazio interior, que por muitas vezes tentaram buscar na família, no trabalho, nas amizades e que não conseguiram, pois se esqueceram que carência se cura, e não se preenche. E é justamente por isso que estes namoros tendem a não durar muito tempo, já que um fica esperando receber o amor do outro, e por isso começam as cobranças, depois as brigas, até se separarem. E mesmo às vezes, quando recebem, nunca será o necessário, já que este vazio, esta carência é de Deus, e não de pessoas. Por isso só Deus poderá preenchê-lo, ou melhor, curá-lo.

Todos nós somos seres humanos extremamente carentes – uns mais, outros menos –; a diferença é que uns dão passos e buscam o equilíbrio, a cura, e outros se deixam levar por estes sentimentos.

Não podemos deixar que os sentimentos dirijam nossa vida, pois além dele nos enganarem, eles são passageiros, assim como tudo na nossa vida é, somente Deus não passa.

Como o namoro é o tempo do conhecimento, mas principalmente da escolha da pessoa a quem futuramente pretendemos construir uma família, a amizade é o tempo por excelência de conhecermos a nós mesmos, de analisar como anda nosso coração, rever nossos sentimentos, nossas atitudes, além do conhecimento da outra pessoa, é claro. E diante destas realidades, da situação que se encontra minha vida, meu coração, e diante de tudo o que conheço desta pessoa a quem pretendo namorar, escolhermos, já que somos livres, se este tempo presente, é apropriado para dar um passo a mais em um relacionamento que traspassa a amizade, e se encaminha para construção de uma família.

“O casamento é um namoro que deu certo” (Prof. Felipe Aquino).

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.