Canção Nova em guerra

Mas contra quem? Começo respondendo que a Canção Nova não está em Guerra contra as supostas ameaças da paz e liberdade mundial, pois não precisamos que ninguém chame a nossa atenção para uma bandeira branca que somente é levantada por medo de tornar-se uma peneira, ou ainda, uma réplica da atual Bagdá. A Canção Nova não está em Guerra, nem contra a Guerra, porque não acreditamos que a partir da violência virá um mundo mais pacífico e solidário.

Afinal, contra quem a Canção Nova está em Guerra!? Não seria contra o tempo, já que este parece se revelar a cada mês um inimigo especialista em causar medo, irritação, desconfiança, acusações, desespero e até desânimo?
Não pode ser o tempo! Pois como uma obra do Criador – o tempo – mereceu também o selo bíblico de qualidade total: “Deus contemplou toda a sua obra, e viu que tudo era muito bom.” (Gn 1, 31)

Se bem que após o pecado da humanidade, nem o tempo livrou-se da confusão de ter que comparecer ao longo do tribunal da história ora como juiz, ora como promotor, advogado, júri, vítima e até cúmplice de crimes, como atenta o livro do Eclesiastes: “Para tudo há um tempo, para cada coisa há um momento debaixo dos céu: tempo para nascer, e tempo para morrer…tempo para matar e tempo para sarar;tempo para demolir, e tempo para construir; tempo para chorar, e tempo para rir; tempo para gemer…tempo para amar, e tempo para odiar; tempo para a guerra, e tempo para a paz.” (Ecle 3, 1-4.8).

Somente quando a Eternidade assumiu a temporalidade, pela Encarnação do Verbo, é que o tempo foi liberto das cadeias do KRONOS, ou seja, da compreensão mitológica grega, em que o tempo era acusado – com muitas provas – de implacável, fugitivo, destruidor de tudo e de todas as coisas. Por isso talvez que o primeiro atingido pela Encarnação do Filho de Deus tenha sido o vilão, o tempo, odiado por todos, mas amado por Jesus Cristo que o fez companheiro de Sua missão: “Completou-se o tempo e o Reino de Deus está próximo; fazei penitência e crede no Evangelho.” (Mc 1,15).

Fiel companheiro de vida e missão o tempo foi o único discípulo que 24 horas por dia aprendeu com o Mestre a viver o seu nome de libertação: KAIRÓS! Este é o nome de conversão dado pelo Senhor: “KRONOS de hoje em diante chamar-se-á KAIRÓS!” E a a partir deste encontro, o tempo retornou a sua essência boa e ao ser ungido pelo Espírito foi constituído como lugar de conversão, graça e salvação para uma humanidade que outrora o tinha como um dos principais inimigos.

Hoje o tempo está aí, como todo neoconvertido que publicamente aprontou, a exemplo de Santo Agostinho, o qual encontrou como motivação para a escrita do seu clássico Confissões – o fato de muitos não acreditarem em sua transformação por força da Graça.

Com bilhões de anos o tempo possue um pouco mais de 2000 anos de mudança e discipulado. Por isso talvez, o mais fácil seja ver o tempo pela ótica grega que o apresentou milenarmente com aquela cara de um leão feroz de boca aberta prestes a devorar quem quer que atravessasse em sua frente.

Nós, Canção Nova, estamos em Guerra contra os reais 3 inimigos da humanidade: o Diabo com seus demônios, as más tendências da nossa humanidade ferida pelo pecado e o Sistema do Mundo que jaz sob o domínio do Maligno. Os nossos aliados são: o Céu, o Carisma Canção Nova, e todos homens e mulheres de boa vontade, que cientes do nosso bom combate pelos Meios de Comunicação, ajudam-nos pelas doações espirituais (oração e sacrifícios) e materiais (ofertas por uma das nossas contas bancárias). Embora esta nossa guerra não nos custe diariamente os escandalosos 6 bilhões de dólares, como acontece atualmente para o império Americano, temos quase 6 milhões de reais deste mês para quitarmos. Você pode ajudar-nos com a porcentagem que nos falta!
Mas, padre!? Não dá mais tempo! Não culpemos o convertido KAIRÓS, e nos convertamos à bondade generosa que faz parte da nossa essência criada à imagem e semelhança da fonte e promotor da verdadeira PAZ e LIBERDADE! É Ele o Senhor da nossa Guerra e razão do nosso apelo!

Que Nossa Senhora, Rainha da Paz, retribua em graças!!!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.