As mentiras de Dan Brown

Através da leitura do livro O Código da Vinci de Dan Brown, muitas pessoas passaram a questionar a Igreja católica, pensam seriamente em abandonar as suas crenças. Por causa de tantos fatos apresentados pelo livro, acaba parecendo que a Igreja é “a maior mentira de todos os tempos”. São tantos os fatos e evidências apresentadas que em nada me espanta uma pessoa ter sua fé abalada por este texto.

Neste artigo não me darei o trabalho de comentar as afirmações do livro. Existem inclusive alguns livros que foram escritos para rebater cada uma das afirmações, quem quiser que leia estes livros. Muitos dos fatos apresentados são verdades, aliás, conhecidas há mais de mil anos pela Igreja. Certamente as pessoas comuns, que pouco conhecem sobre a Igreja podem ver estes fatos como uma novidade, mas nada de novo há nestas afirmações.

Outras afirmações são mentiras deslavadas, acusações grosseiras contra a Igreja, sobre atitudes a qual ela nunca tomou. Existem também afirmações de textos completamente falsas, ou distorções da verdade, onde um texto é utilizado fora de seu contexto e generalizado deliberadamente para criar uma “complicação” para a Igreja resolver.

Existem também heresias combatidas pela Igreja há mais de 1.500 anos e comprovadas como incorretas, que são trazidas como uma nova “descoberta”, mas que apenas são matérias antigas revolvidas do lixo com os mesmos argumentos derrubados há mais de um milênio por teólogos. Enfim, neste texto vou segurar a tentação de desmascarar as mentiras do texto e me restringirei ao essencial do texto. O livro prega uma doutrina para afastar as pessoas de Deus, este afastamento se dá de uma maneira sutil, mas extremamente forte.

O primeiro ataque é contra a história da Igreja, citando a inquisição, as cruzadas, a luta contra o paganismo no império romano. Nestes textos temos meias-verdades, afirmações fora de contexto e algumas invenções que colocam “a igreja como a maior manipuladora de todos os tempos”. Será que isto é verdade? Pouco importa, não há ninguém sendo apontado como o “certo” nesta história, o único objetivo é que você deixe a Igreja de lado em sua vida e viva sozinha, isolada do resto da comunidade.

Depois temos uma elevação do sagrado feminino, do homossexualismo, do sexo como fonte de prazer. O livro afirma que “o homem é espiritualmente incompleto até conhecer carnalmente o sagrado feminino. A união física com a mulher recorda o único meio através do qual o homem pode se tornar espiritualmente completo…”. Em outras palavras usar o “orgasmo como oração”.

O livro descreve o rito do “Hieros Gamos”, onde as pessoas mantêm com diversos parceiros, relações sexuais com outras pessoas assistindo o “rito”. Uma verdadeira orgia sexual, que é tratada como um rito sacrossanto a qual eles sugerem que substitua a missa. Também se insinua que várias figuras importantes da história eram homossexuais. Se isso é verdade, é difícil dizer, em alguns artigos que li, historiadores afirmam que realmente existem alguns indícios, mas nada disso pode ser provado. Mas quem se importa com provas? Eles só querem “questionar” a Igreja.

Jesus disse “Eu sou o Caminho, a Verdade e a vida, ninguém vem ao pai senão por mim”. Na carta de Paulo aos Efésios ele enfatiza: “Quanto à fornicação, à impureza, sob qualquer forma, ou à avareza, que disto nem se faça menção entre vós, como convém a santos. Nada de obscenidades, de conversas tolas ou levianas, porque tais coisas não convêm; em vez disto, ações de graças. Porque sabei-o bem: nenhum dissoluto, ou impuro, ou avarento – verdadeiros idólatras! – terá herança no Reino de Cristo e de Deus. E ninguém voz seduza com vãos discursos. Estes são os pecados que atraem a ira de Deus sobre os pecados. Não vos compremetais com eles.” (Efésios 5,3-7)

Como se podem constatar, tais ensinamentos são totalmente contra a Bíblia, mas isto também não é problema, pois para eles, “Deus não enviou a bíblia do céu por fax”. Para eles “A bíblia é um produto do homem, O Homem criou-a como um registro histórico de tempos tumultuosos, e têm evoluído ao longo de inúmeras traduções, adições e revisões. A história nunca conheceu uma versão definitiva da Bíblia”.

Depois de conduzir a pessoa a não acreditar mais na Igreja, de desvirtuar o ato sexual e profanar a bíblia, o próximo passo é atacar a divindade de Jesus.

Bem, a história de Maria Madalena é antiga, esta é apenas uma das heresias, outra diz que Jesus era um essênio, outra que ele não morreu na cruz e sim fugiu para Índia, outra diz que Jesus sequer existiu… Não importa muito, o que interessa é desmistificar a figura de Jesus como o filho de Deus e caracterizá-lo como uma pessoa qualquer. Claro, para não ofender tanto o chamam de uma das mais brilhantes pessoas de todos os tempos, mas um ser humano normal, com fraquezas, falhas como qualquer um.

Tudo isto para justificar uma vida vazia das pessoas, sem a necessidade da busca da perfeição, na busca do PHN (Por hoje não vou pecar), afinal, para ele não existiu no mundo ninguém perfeito, nem mesmo Jesus. Neste ponto o livro chega perto do seu objetivo, uma pessoa que acreditou em tudo que leu, deve estar com muita dúvida sobre os seus dogmas de fé… Então o livro trata de acabar definitivamente com a fé da pessoa.

A tática usada é de simplesmente ridicularizar qualquer tipo de fé. Para eles “Toda a fé do mundo se baseia em invenções”. A definição de fé deles: “Fé = Aceitação daquilo que imaginamos ser verdade, daquilo que não podemos provar”.

Veja que agora ele não se limita a criticar os católicos, mas ridiculariza TODO tipo de fé, judaica, cristã, muçulmano, budista, etc. Bem finalmente o autor revela a quem está servindo. A afirmação dele é a seguinte: “O que procuro aqui não é a glória pessoal. Sirvo algo muito maior do que o meu orgulho. A Verdade. A humanidade merece conhecer a verdade”.

A principio o objetivo parece nobre, mas compare com esta outra frase: “Mas Deus bem sabe que, no dia em que dele comerdes vossos olhos se abrirão e sereis como deuses, conhecedores do bem e do mal” (Gênesis 3,5) Conhecedores do bem e do mal, conhecedores da verdade. A humanidade merece conhecer a verdade, você precisa saber a verdade… A mesma proposta da serpente para a humanidade. Após todo o ataque à fé, não se podia perder a oportunidade de atacar novamente a Igreja católica, para eles a Igreja não oferece mais nenhum tipo de orientação espiritual. A Igreja se tornou tolerante com qualquer tipo de pecado para se adaptar aos tempos modernos.

Basta olhar o nosso santo papa João Paulo II , tantas comunidades como a Canção Nova e toda a geração PHN que vem buscando a santidade a cada dia, sem desanimar buscando viver a radicalidade do amor de Deus.

Finalizando, se a pessoa quer ainda ter alguma devoção de fé, apesar todas as tentativas de acabar com a fé, o livro propõe uma inusitada devoção “Como murmúrios de espíritos na escuridão, vozes esquecidas ecoaram. A demanda do Santo Graal é literalmente uma demanda para ajoelhar diante dos ossos de Maria Madalena. Uma jornada para rezar aos pés da ostracizada”

Deus é muito bom para nós que nos deixa o livre arbítrio para escolher, “Porém se vos desagrada servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses que serviram aos vossos pais além do rio, se aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Porque quanto a mim, eu e minha casa serviremos o Senhor”. (Josué 23,15)

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.