Amor ou medo?

Há tempos, ouvi uma frase de um santo da Igreja que me chamou muito a atenção: “Quem deixa o pecado por medo do castigo, retorna a ele”.

Atualmente, no entanto, esta instrução tem mexido mais profundamente comigo. Tenho sido questionado interiormente sobre quais razões tenho ao fazer as coisas, ao procurar ser correto, ao procurar ser bom, ser santo. Veja! Não é em coisas más que falo, mas em coisas boas, nobres, indo, no entanto, à busca de uma purificação das minhas motivações.

Não se ouve falar, na Bíblia, em recompensa a alguém que fez isso ou aquilo por medo, mesmo que tenha sido um gesto heróico. Temos sim, e, muitas vezes, o convite, o apelo ao amor. Jesus resume toda a Lei no amor a Deus e ao próximo. “O amor cobre uma multidão de pecados”, exclama São Pedro (I Pedro 4,8).

O oposto do amor não é o ódio, já dizia um pensador cristão. O ódio é um amor desordenado, ferido. O oposto do amor é o medo.
“No amor não há temor. Antes o perfeito amor lança fora o temor, porque o temor envolve castigo, e quem teme, não é perfeito no amor” (I João 4,18).

No meio em que crescemos, a pedagogia que tiveram conosco, especialmente na nossa infância e adolescência não foi a pedagogia de Deus, a pedagogia da liberdade, do amor. E, infelizmente, acabamos ficando condicionados ao modo como nos motivavam nessa fase inicial de nossa vida. “Se você tirar notas ruins na escola, ficará de castigo!”; “Se não fizer a tarefa de casa, perderá pontos no boletim”; “Caso não se comporte, vou te colocar para dormir”, etc.

Deus quer dar uma guinada em nós, quer que entremos na dinâmica do amor, no ser e fazer tudo somente porque se ama e é amado. Jamais por medo. Experimentaremos a liberdade de ser filhos e irmãos.
Parece uma mudança simples, mas é como mudar a cor das paredes de uma casa. Só se muda a cor, mas transforma todo o ambiente, toda a mobília, para que haja uma combinação. Muda-se somente a motivação e acontece uma verdadeira revolução em nós.

Rezemos juntos:
“Senhor, converte-me! Eu quero ser convertido! Nem me apercebia, mas estava vivendo as coisas, até mesmo as coisas boas, por medo. Queria acertar, mas por medo de ser reprovado, castigado e não porque o Senhor me ama e eu quero te amar. Converte-me, Senhor! Faz esta guinada acontecer na minha vida. Só por amor quero viver, pois só assim será válida qualquer coisa em minha vida. Enche-me do teu Espírito, que é Amor. N’Ele eu quero somente ser amor também!”

Amar, amar, amar. Somente amar!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.