Amizade verdadeira

Em nossos dias, falar em amizades profundas soa como algo difícil de acontecer. Isso porque os relacionamentos entre as pessoas tornaram-se algo superficial, onde ninguém se compromete com nada. As pessoas, muitas vezes, têm medo de deixar-se conhecer, em vista de uma decepção que tiveram no decorrer da vida.

Realmente, quando nos deparamos com o fato de que alguém traiu nossa confiança, custa-nos acreditar que não ficaremos desapontados novamente. Pensamos assim: “Já aconteceu uma vez, com certeza, acontecerá de novo”. Porém, se nos prendemos unicamente às decepções que tivemos e não nos abrimos ao novo, que pode ser uma amizade, caímos no risco de ficarmos sozinhos, sem ninguém para compartilhar nossas alegrias, conquistas, e também, nossas tristezas.

O ser humano é um ser social por natureza. Tem necessidade em estar com os outros. Entretanto, ele não deve se limitar a estar com os outros somente. Surge o convite em partilhar com outras pessoas parte daquilo que lhe é mais precioso: a sua vida. Se ele está disposto a viver esta realidade, encontrará uma promessa contida no livro de Eclesiástico: “Amigo fiel é uma poderosa proteção..” E de fato, isso acontece. Quantas vezes existiram pessoas que me livraram das mais distintas situações porque se importavam comigo. E por que isso ocorreu? Porque ousei em fazer amizades, mesmo sabendo que poderia me decepcionar.

Além disso, decepções sempre acontecerão quando se trata de ser humano, visto que ninguém é perfeito. Uma amizade profunda compreende bem isso e sabe acolher o outro, tanto com suas qualidades quanto com seus defeitos. Uma vez eu magoei alguém, mas a pessoa era importante para mim. Fui até ela e pedi perdão. Ela me respondeu assim: “Amar você unicamente quando me trata bem, é muito fácil. Preciso amar você até quando você me ofende”.

Há alguns motivos para não se deixar-se conhecer e ter amigos. Mas existem milhões para o fazermos…. Por que não ousar, mesmo que venha a sofrer? Com certeza, você encontrará muito mais alegrias do que tristezas. Tenho experimentado esta realidade e como me alegro em saber que tenho amigos de fé, que estão comigo para o que der e vier! Vejo nisso tudo a graça de Nosso Senhor que os coloca como anjos em nossos caminhos para nos ajudar a chegar até o céu.

Realmente, para alcançar uma amizade verdadeira, é necessário a decisão diária de querer morrer para si, para que o outro possa viver para Deus. Foi desta forma que santos como São Bento e Santa Escolástica, São João da Cruz e Santa Tereza D’ávila, São Francisco e Santa Clara viveram. Eles conseguiram compreender que uma amizade profunda leva as pessoas envolvidas a uma intimidade com Deus, visto que, se não é desta maneira, a amizade torna-se vazia, pois falta seu principal fundamento: Deus!

A amizade que estes santos tiveram era algo constituído em união com o Senhor, que fazia com que eles mergulhassem, a cada dia, os seus corações nos mistérios divinos, permitindo, assim, que eles fossem os primeiros a anunciarem com o testemunho de vida esta perfeita união de amigos e irmãos em Cristo.

Nisto encontramos o verdadeiro sentido das amizades profundas: levar exclusivamente, com o testemunho de vida, os mistérios divinos a cada coração que ainda não conhece os mistérios do Grande Rei e Salvador Jesus. É uma realidade fabulosa que está à disposição daqueles que decidem amar e permitem serem amados.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.