Amar e conhecer Deus

“Amemo-nos uns aos outros” (I Jo 4,7). São João, em sua primeira carta, nos relembra de maneira especial este mandamento de Jesus, que é tão familiar a todos nós. Para dizer que devemos amar a Deus acima de tudo e ao próximo como a nós mesmos, o discípulo que Jesus mais amava (Jo 13, 23) nos chama a atenção para um detalhe simples que nos convida à conversão diária: “Porque o amor vem de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece Deus. Quem não ama, não chegou a conhecer Deus, pois Deus é amor” (I Jo 4,7-8).

Muitas vezes temos dificuldade em aceitar esta verdade, principalmente se já temos um certo tempo de caminhada e trabalho com Jesus. Não é desesperador pensar que após muitas experiências de Deus, muitas encontros e retiros, momentos de adoração, milhares de terços rezados, missas, reuniões da igreja, anos de vida em comunidade, obras de caridade com os pobres e doentes, podemos ainda estar na situação de não conhecermos Deus? O apóstolo Felipe experimentou isso, quando pediu a Jesus que lhe mostrasse o Pai. E Jesus disse: “Filipe, há tanto tempo estou convosco e tu não me conheces?” (Jo 14, 9).

Não podemos nos esquecer, é claro, que a misericórdia do Senhor é eterna e sua fidelidade dura para sempre (Sl 117), e por isso o Senhor olha nosso coração e vê a fé de seu povo. E sendo o próprio Deus Amor, Ele reconhece as nossas lutas e nossos sofrimentos, o quanto queremos acertar e chegar ao céu. Mas não podemos fechar nossos olhos e muito menos os corações para a realidade de que temos que amar se quisermos conhecer Deus! E amar não só aqueles que nos querem ou fazem bem, mas todos aqueles que Deus nos dá a graça de encontrar, por um dia que seja.

O mundo quer que acreditemos que seja muito difícil Amar. Prega um outro tipo de amor, muito diferente do Amor Verdadeiro. Encontramos nosso mundo de hoje descrito pelo profeta Oséias: “não há mais fidelidade nem amor, nem conhecimento de Deus nesta terra. Juram falso, mentem, matam, roubam, cometem adultério, cometem assassinatos um atrás do outro. Meu povo está se acabando por falta do conhecimento de Deus” (Oséias 4, 1-2.6a).

E nós temos o dever de mostrar que, com a graça do Espírito Santo, é fácil Amar! Vejamos como se torna mais fácil se começarmos nas coisas mais simples: cumprimentarmos as pessoas que passam por nós, desejando-lhes um bom dia; sermos solícitos, ajudarmos, termos iniciativa de fazer algo pelos outros sem que nos peçam; perdoar aqueles que para nós são imperdoáveis, não fazermos distinção de pessoas, conhecer a cada um, Amar! E não precisamos procurar longe por pessoas que julgamos necessitadas, para que exercitemos nosso amor: cada pessoa que está a nossa volta precisa experimentar através de nós o Amor, experimentar esse Deus que você conhece!

Tente observar a partir de hoje as pequenas coisas que você pode fazer na sua casa, no seu trabalho, na sua rua, que demonstrem o Deus-Amor que você já conhece. Comece a realizar cada uma delas aos poucos e sem medo… Veja a reação das pessoas… Você vai ver que muitas se surpreenderão com você! E mesmo que algumas não entendam e riam de você, não desanime! Continue! Deixe-se encher e transbordar o Amor Verdadeiro, que é paciente, não é invejoso, não se alegra com a injustiça, que tudo desculpa, tudo suporta e que jamais acabará! (cf I Cor 13, 4-8).

Vivamos assim todos os dias! Especialmente nesta quaresma, experimente! Ame! Conheça Deus! Vale a pena!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.