Abaixo a ditadura da beleza!

Um professor brincou com Sarah, na sala de aula:

– Pessoal, estamos diante da próxima capa da revista “Mulher moderna”!

Todos bateram palmas.

– Ela merece um ponto a mais na matéria – disse o professor, descontraindo a turma.

– Puxa-saco! Puxa-saco! – Gritaram os garotos, em coro.

– Vocês também merecem um ponto a mais na matéria por serem amigos dela – completou.

Os alunos assobiaram, gritaram. A festa foi geral. Todos cumprimentavam Sarah. Ela pediu silêncio e num gesto sublime, disse:

– A beleza está nos olhos de quem observa.

Um colega exclamou admirado:
-Uau, Sarah está filosofando!

– Sarah comentou que esta frase se encontrava no site que ela e uma amiga psicóloga, chamada Anna, tinham montado. O site chamava-se: “Abaixo a ditadura da beleza!”

Na primeira página do site havia cinco frases que causavam impacto nos internautas e questionavam os valores humanos, estimulando a liberdade e resgatando a auto- estima:

– O seu espelho não tem problemas, você é que distorce a sua imagem.

– Não há dois seres humanos iguais ou duas belezas iguais.

– Faça escolhas! Tenha um caso de amor com você mesma.

– Consuma menos produtos e mais idéias.

– O tempo da escravidão acabou: Diga não à ditadura da beleza!

Mulheres adultas e adolescentes de todo o mundo, inclusive homens, começaram a resgatar o prazer de viver à medida que entravam no site e se reeducavam com as informações nele contidas. Mesmo os que pensavam em suicídio, os tímidos, os fechados e os que se isolavam por terem vergonha de si mesmos deram um salto de qualidade de vida.

Ao meditar sobre a frase de Sarah, um garoto brincou:

– Eu observo que você é linda.
Vocês não entenderam a frase – tentou corrigi-los. A beleza está nos olhos de quem interpreta. Todo ser humano tem sua beleza. Precisamos encontrar a nossa beleza, mesmo que não estejamos dentro do padrão da mídia. Há colegas aqui que são tão ou mais bonitas do que eu – falou com humanidade, diante de uma classe atônita e silenciosa. “Quem seria mais bonita do que Sarah?”, pensaram.

Em seguida, Sarah caminhou-se para sua amiga, Shirley, que, devido a um acidente, tinha um defeito na face e andava mancando. Ao se aproximar dela fixou seus olhos e disse:

– Shirley, você é maravilhosa, linda, bonita, bela. Você merece mais destaque que uma capa de revista. Merece estar na capa do coração de qualquer garoto que saiba ler a linguagem da sensibilidade. E beijando rosto da amiga, completou:

– Obrigada por você existir e por ser minha amiga.

Os olhos de Shirley encheram-se de lágrimas. Jamais tinha sido tão valorizada, nunca se sentira tão acolhida. Vários colegas também sentiram os olhos lacrimejarem. Todos começaram a se abraçar. Os garotos perderam a vergonha de dizer uns para os outros: “Você é lindo, cara!” Todos aplaudiram a si mesmos, inclusive, o professor. Aplaudiram o espetáculo da vida.

.: Do livro: A ditadura da beleza e a revolução das mulheres

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.