A Misericórdia...

Pude entender, que a misericórdia é o elo de ligação de nós pecadores com a graça de Deus. Ou seja é a expressão do amor de Deus por nós pecadores, onde este amor transcende as nossas faltas, capacita-nos pela nossa justificação, pela purificação de todos nossos pecados, assim estaremos em perfeita comunhão com Deus, já que só o pecado é quem nos afasta de DELE.

Jesus convida os pecadores à mesa do Reino: “Não vim chamar os justos, mas pecadores” (Mc 2,17). Convida-os à conversão, sem a qual não se pode entrar no Reino, mas mostrando-lhes com palavras e atos, a misericórdia sem limites do Pai por ele e a imensa “alegria no céu por um único pecador que se arrepende” (Lc 15, 7). “A prova suprema deste amor será o sacrifício de sua própria vida em remissão do pecados” (Mt 26,28) (CIC 545).

Esta misericórdia é expressa de diversas formas no Evangelho, já que o Evangelho é a revelação em Jesus Cristo da misericórdia de Deus para com os pecadores. O anjo anuncia a José: “Tu o chamarás com o nome de Jesus, pois ele salvará seu povo de seus pecados (Mt 1,21). O mesmo se dá com a Eucaristia, sacramento de redenção: “Isto é o meu sangue, o sangue da aliança, que é derramado por muitos, para remissão dos pecados (Mt 26,28) (CIC 1846).

“Deus nos criou sem nós, mas não quis salvar-nos sem nós” Acolher sua misericórdia exige de nossa parte a confissão de nossas faltas. “Se dissermos: “Não temos pecado”, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós. Se confessarmos nossos pecados, Ele, que é fiel e justo, perdoará nossos pecados e nos purificará de toda injustiça” (1Jo 1,8-9) (CIC 1847).

E todos nós sabemos que para realizarmos uma boa confissão precisamos primeiramente nos arrepender de nossos pecados, já que o arrependimento nos leva a conversão, a vida, como Pedro que se arrependeu após ter negado Jesus, diferente do remorso que conduz a morte, como aconteceu com Judas Iscariotes que se matou.

Uma das passagens mais belas de misericórdia de toda bíblia para mim é a passagem do filho pródigo (Lc 15,11-32), pois narra com exatidão como Deus se comporta quando nos arrependemos e decidimos voltar para casa do Pai. E Deus que é infinitamente misericordioso, nos espera de braços abertos, não nos perguntando por onde andamos, o que fizemos, mas somente nos ama.

O que Deus quer de nós, é que tenhamos a coragem de dar o passo e voltar, para que possamos estar novamente em seus braços misericordiosos, e por Deus agir no tempo presente, não podemos deixar para amanhã, já que para nós o amanhã ainda não existe, o ontem já ficou no passado, por isso só nos resta o hoje.

E assim, devemos vive-lo com intensidade como fazia os Santos, pois não sabemos nem o dia e nem a hora em que virá o Senhor, mas sabemos que ele está muito próximo. Por isso mais do que nunca este é o tempo favorável, o tempo em que Deus está derramando profundamente sua misericórdia em nossas vidas, já que depois, quando o Senhor vier, ou nós irmos até ele, este tempo acabará, então entraremos no tempo da justiça, onde nossos atos sejam bons, como as obras de misericórdia, sejam maus como nossos pecados, serão levados em consideração diante do Justo Juiz que decidirá o nosso destino eterno, ou junto dele na glória dos Céus, ou para longe dele, no fogo do inferno. Abramo-nos a misericórdia de Deus. “Pela sua dolorosa paixão tende misericórdia de nós, e do mundo inteiro”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.