A força de um chamado

“O Senhor me chamou desde o seio materno, desde o ventre de minha mãe, repetiu para si o meu nome”

Natividade de São João Batista – 24/06/2003

Ao celebrar a natividade de João Batista, a liturgia põe em destaque o tema da vocação. Significativa é a citação de um texto de Isaías que acena a um chamado, abrangendo por inteiro a vida de alguém desde sua concepção: “O Senhor me chamou desde o seio materno, desde o ventre de minha mãe, repetiu para si o meu nome” (Is 49,1 ). Mas, esse é apenas o primeiro passo. É a força de Deus porque, em termos de missão, ninguém pode atribuir a si mesmo qualquer espécie de responsabilidade. Temos aí um elemento sobre o qual sempre devem questionar – se os agentes de pastoral.

Cabe ao Senhor da messe fazer a escolha daquelas e daqueles que realizarão a colheita. Há um segundo elemento, igualmente importante. Quem é escolhido e enviado não pode estar a serviço de si mesmo: “Ele me disse: “Meu servo és tu, Israel, através de quem eu manifestarei o meu esplendor”” (v. 3).

Em rápidas pinceladas, delineiam-se ali os contornos do que foi a pessoa de João Batista e da força de um chamado que o escolheu e enviou para preparar os caminhos do Senhor. Ele não apenas responde com generosidade, enfrentando os riscos que o levariam à morte, mas sabe reconhecer também os limites da missão que lhe foi confiada. Quando Jesus aparece, ele cede o lugar.


Seu Irmão
Eduardo Rocha Quintella
Fraternidade S. J. da Cruz O.C.D.S. -BH

Continuo Orando Por Você…

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.