A felicidade que se busca...

Você, que não se sente feliz, no Evangelho de Mateus 5, 1-11, Jesus fala da felicidade. Ele sabe o caminho e se propõe a no-lo ensinar, pois Deus quer que seus filhos e filhas sejam felizes. Deus não quer a infelicidade de ninguém. Ao contrário, Ele oferece a felicidade a quem quiser prová-la.

O evangelho das bem-aventuranças, ou seja das felicidades. Bem-aventurado quer dizer feliz. Quando Jesus diz “bem-aventurados os pobres em espírito…”, está dizendo: “Felizes os pobres em espírito…” O Evangelho fala de 8 bem-aventuranças, 8 caminhos para ser feliz. Oito caminhos para conseguir provar a verdadeira e duradoura felicidade, aquela à qual tanto almejamos. Pequenas felicidades momentâneas provamos em muitos momentos da vida, até mesmo felicidades equivocadas e falsas, aparências de felicidade, que depois se transformam em vazios, amarguras e infelicidades. Mas é uma felicidade profunda, verdadeira e duradoura o que todos buscamos e que tanta gente nunca encontra!

Também o povo no tempo de Jesus queria ser feliz, buscava a felicidade. Os sofrimentos da vida, os pecados e a consciência de culpa, as humilhações, a miséria material e espiritual, o vazio de sentido para a vida, as falsidades com que se topa a cada dia, a carência de amor e de atenção, a aparente inutilidade do esforço para melhorar a vida, tudo leva o povo, também o do tempo de Jesus, a tatear como que às escuras em busca de uma felicidade verdadeira.

Deus conhece os desejos profundos e legítimos de felicidade que habitam o coração humano e, por isso, vem ao nosso encontro para mostrar-nos o caminho, porque nos ama. Tanto nos ama que enviou seu próprio Filho ao mundo, para salvar-nos e tornar-nos felizes. De fato, Jesus fala da felicidade e o povo que o escuta fica cheio de esperança. Ele diz: “Felizes os pobres em espírito, porque deles é o reino dos céus. Felizes os aflitos (que clamam a Deus), porque serão consolados. Felizes os mansos (os não-violentos), porque possuirão a terra. Felizes os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados” (Mt 5,3-6) e assim por diante. Jesus ao falar da felicidade às multidões, está falando de sua própria experiência. Ele, como Filho amado do Pai eterno, feito homem, sente-se feliz como homem porque realiza no dia-a-dia em sua própria vida humana as bem-aventuranças que ensina. Ele está dizendo ao povo: vocês querem ser felizes, então ouçam como eu mesmo me torno feliz; ouçam a minha experiência de felicidade; na verdade, eu sou o caminho da felicidade.

O Evangelho diz que Jesus subiu a uma montanha, que depois se chamará a Montanha das Bem-aventuranças, que ainda hoje pode ser visitada em Israel. Jesus subiu à montanha, sentou-se e os discípulos ao seu redor. No cimo da montanha, ao redor do círculo central onde estavam Jesus e seus discípulos, e nas ladeiras abaixo, sentou-se a multidão do povo que tinha vindo de toda a região circunvizinha, pois ouvira muitas notícias sobre este novo profeta, este homem de Deus, Jesus de Nazaré. Todos queriam ouvi-lo falar de Deus e do seu Reino e serem curados de seus males. Todos estavam atentos, esperando ouvir o que Jesus iria lhes dizer. Então Jesus começou em alta voz a proclamar: “Felizes aqueles que…” e foi continuando a declinar de quantas formas as pessoas podem ser felizes. O povo, mesmo não entendendo bem tudo o que Ele dizia, ficou maravilhado, radiante e entusiasmado, pois compreendeu que este homem tinha a chave da felicidade na mão, conhecia o caminho e queria ensiná-lo. A partir daquele dia mais e mais o procuravam e queriam ouvi-lo.

E você? Quer ser feliz? Ouça as bem-aventuranças de Jesus e as ponha em prática e você será, sem dúvida, feliz!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.