A família é sagrada!

A instituição mais importante do mundo é a família

Para que este mundo seja reconstruído, será preciso, em primeiro lugar, reconstruir as famílias. Por isso, você, que um dia formará uma família, precisa conhecer a importância dela.

Papa João Paulo II chamou a família de santuário da vida” (CF,11).

Santuário quer dizer “lugar sagrado”. É ali que a vida humana surge como de uma nascente sagrada, e é cultivada e formada. A família é o escudo da vida. Sem ela, a vida sofre. Ela é a base da sociedade.

Quando Deus desejou criar o homem e a mulher, Ele os quis “em família”; e ela, no plano de Deus, é uma imagem da comunhão do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Sua atividade de criar e educar os filhos é o reflexo da obra criadora do Pai.

Desde que existe a humanidade existe a família, e ninguém jamais a pôde ou poderá destruir, pelo fato de que ela foi instituída por Deus.

Não foi um Papa, teólogo ou sociólogo que inventou a família; foi Deus mesmo. Logo, ela é essencial para a felicidade do homem.

A família é “a célula originária da vida social”. “É a sociedade natural na qual o homem e a mulher são chamados ao dom de si no amor e no dom da vida” (CIC, 2207).

O futuro da sociedade e da Igreja passam pela família; é nela que os filhos e os pais devem ser felizes.

Quem não experimentou o amor no seio do lar terá dificuldade para conhecê-lo fora dele.

A família é a comunidade onde, desde a infância, cada um aprende os valores morais, começa a honrar a Deus e a usar corretamente a liberdade. A vida em família nos ensina a viver em sociedade.

Esse é o desígnio de Deus para o homem e para a mulher que juntos, em família, vão “crescer”, “multiplicar-se” e “encher a terra. Daí, podemos ver que sem o matrimônio forte e santo, não é possível termos uma família forte, segundo o desejo do coração de Deus.

Se destruirmos a família, destruiremos a sociedade. Você pode perceber, cada vez mais claramente, que os sofrimentos das crianças, dos jovens, adultos e velhos têm a sua razão na destruição dos lares.

Quando o Filho de Deus desceu do céu para salvar o homem, ao assumir sua natureza quis nascer numa família.

Já que Ele não poderia ter um pai natural na Terra, adotou José como pai legal: “”Não é este o filho do carpinteiro?”” (Mt 13, 55). Com sua presença na família, José consagrou todas as famílias.

Conta-nos São Lucas que, após o seu encontro no Templo, eles voltaram para Nazaré, “e Ele lhes era submisso” (Lc 2,51).

É muito significativo que “o primeiro milagre” de Jesus tenha sido realizado nas bodas de Caná (Jo 2), onde nascia uma família. Tudo isso mostra a importância dela para Deus.

Muitos crescem sem o calor amoroso do pai e da mãe, e carregam consigo uma carência afetiva para sempre.

Nas casas de recuperação de drogados, é fácil chegar à conclusão de que a maioria que está ali é fruto de uma família destruída ou mal vivida.

O jovem não suporta viver em uma família onde não haja um clima de paz e bondade; muitas vezes, ele não gosta de seu lar e vai procurar na rua o seu refúgio. E aí pode começar uma triste história de drogas, roubos etc.

Saiba que você, amanhã, mais cedo do que imagina, será um pai ou uma mãe. Não permita que os seus filhos nasçam e cresçam num ambiente amargo para eles; será a pior herança que você poderá lhes deixar.

Por isso, prepare-se para ser um pai e uma mãe de verdade, capaz de ser um exemplo de vida para os seus filhos.

Livro: “’Jovem, levanta-te’”


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.