A Evangelização é a missão primordial da Igreja

A todo aquele que se tiver declarado por Mim diante dos homens, também Eu me declararei por ele diante do meu Pai que está nos céus‘. Ouvíamos, há instantes, esta palavra saída dos lábios de Jesus. Tal palavra está intimamente ligada à sua própria missão. Ele é, com efeito, o primeiro evangelizador, porque Ele é o Evangelho em pessoa. Ao fazer-se um de nós pela encarnação, assumiu sobre os seus ombros a missão recebida do Pai. Ele veio a este mundo para dá-Lo a conhecer no seu amor por nós e convidou-nos a abrir o nosso coração a esse amor divino.

Confessar Jesus diante dos homens é, pois, confessar ou testemunhar o próprio Deus, três vezes santo, deixar-se amar e guiar por Ele, para podermos participar na sua santidade ‘Sede santos como é santo o vosso Pai que está nos céus!‘.

Já o Antigo Testamento nos ensina que o nome de Deus é santo. Invocar tal nome é proclamar a riqueza da santidade divina, é mergulhar no amor de Deus revelado em Jesus Cristo. Em boa hora, este Santuário escolheu como tema catequético, para o presente ano, o segundo mandamento de Deus: ‘Não invocar o nome de Deus em vão.

Evangelizar é, com efeito dar a conhecer o nome santo de Deus e todo o amor que tal nome implica. Se Deus é Amor, se Deus é santo, se Deus é Pai… viver tal realidade e dá-la a conhecer é evangelizar! A missão primordial da Igreja – Povo do Novo Testamento – é a evangelização do mundo. Todos somos chamados a levar o nome do Deus de Nosso Senhor Jesus Cristo a toda a humanidade, para que esta o conheça, o ame e o glorifique. Com razão Jesus, ao ensinar-nos a rezar, nos indicou como primeiro assunto da nossa oração, a glorificação do santo nome de Deus: ‘Santificado seja o vosso nome‘.

+ Manuel Madureira Dias
Bispo do Algarve
Portugal, 23 de Junho de 2002.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.