A arte de dividir

Esta no ser humano a característica de somar as vantagens e muito melhor multiplica-las ao invés de dividi-las, mas na vida familiar é uma operação que a partir da divisão obtem-se os resultados da multiplicação. É uma operação que a matemática não consegue explicar, mas o coração consegue entender.

Os sentimentos no namoro foram ganhando profundidade e culminou no casamento. A partir deste momento o que era 100% de cada um passa-se a ser 50%, para que possam assim se completarem. São os primeiros momentos do novo exercício de viverem a experiência de uma eterna doação. Os finais de semana que anteriormente era desfrutado integralmente no futebol, passou a ser reduzido e conciliado com o entretenimento também do cônjuge.

Dos sentimentos compartilhados mutuamente, resultou-se nos filhos, as atenções, os carinhos serão sub-divididos entre três pessoas e assim sucessivamente. A medida que nossos filhos vão crescendo, também irão firmando seus espaço, suas convicções a partir das informações do meio em que se vive, confrontando e analisando situações as quais os rodeiam.

Contudo multiplica-se as preocupações dos pais, que desejam a integração dos filhos na sociedade; sua aceitação entre os amigos sem abrir mão dos valores morais aplicados em casa. Enquanto pequenos é ainda fácil contornar situações como: Porque o meu amigo pode e eu não posso…. Na casa dele é diferente….O meu pai não é assim…..

Chegando na adolescência a formação que a eles transferimos a partir de ensinamentos e sobretudo, dos nossos exemplos, deverão ser ferramentas, assim como para nós um dia foi. Interessante saber que apesar de já termos vivenciados experiências parecidas, de já conhecermos os caminhos que ainda irão trilhar, quando percebemos que os nossos filhos começam a passar pelos mesmos caminhos nos traz, ao menos pra mim, o desejo de exclui-los, de fazer pular a etapa, de evitar os sofrimentos e decepções. Mas é o momento onde eles poderão fazer valer a auto-educação. Dentro deste quadro passara: pelas dificuldades escolares, pelo primeiro amor, pelos convites de amigos etc..etc..

Como estamos sempre em formação e embora sendo pai continuo e continuarei sendo sempre conhecido como o filho de ‘Seu Vicente’, é necessário a abertura de ambos aos conselhos para que dividindo também as apreensões possamos atingir a multiplicação do amor, tornando intrinsica o ser família.


Dado Moura

Dado Moura trabalha atualmente na  Editora Canção Nova, autor de 4 livros, todos direcionados a boa vivência em nossos relacionamentos. Outros temas do autor estão disponíveis em www.meurelacionamento.net twitter: @dadomoura facebook: www.facebook.com/reflexoes

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.