“O melhor carnaval"...

Todo humano quer ser livre e feliz. É natural que seja assim, pois Deus nos criou livres e para a felicidade eterna.

O que poucos sabem é que esta fome de liberdade e felicidade não pode ser saciada senão em Deus. Prova disso é o número cada vez maior de jovens que têm tudo, materialmente falando, e no entanto, continuam vazios, deprimidos, e até inclinados ao suicídio.

O jovem Santo Agostinho, é um exemplo claro de quem buscou a felicidade distante de Deus, ele mesmo testemunha: “Tarde te amei beleza antiga e sempre nova… só em ti encontrei a perfeita alegria”. Uma vez que viemos de Deus, é somente Nele que nos sentimos plenos. Não é conclusão religiosa, é um fato de vida!

Trabalho próximo ao sambódromo e todos os dias contemplo ainda que involuntariamente, a “Marques de Sapucaí”, referência de uma das maiores festas do país: o Carnaval Carioca.
Há mais de um mês vejo homens e mulheres empenhados no trabalho de preparação para os dias de carnaval. São noites de ensaios, confecções de fantasias misteriosas que visam a conquista de um título. Projeção de cores, sons, posturas, ritmos… tudo precisa estar impecável, afinal turistas do mundo inteiro estão chegando e a fama de “Melhor carnaval do mundo”, não permite vacilo. Quanto investimento em algo tão passageiro! E pensar que em meio a esta multidão tem gente sedenta de Deus, buscando Deus.

Entrevistei uma ex-passista da “Portela” que para surpresa de muitos revelou que não era tão feliz quanto parecia na avenida. Segundo ela, muitas vezes segurava um sorriso “congelado no rosto”, enquanto seu coração era tomado de angústias. Esperava a Quarta-feira de cinzas para entrar em uma Igreja e pedir perdão a Deus que aliás, naquela época, nem o reconhecia como Senhor de sua vida.
Já imaginou quantos passistas e foliões passam por situações assim? O pior é que a mídia dá a isso, o nome de liberdade! O que não pode ser verdade, pois liberdade sem compromisso com a verdade e com a consciência, é libertinagem, e libertinagem não traz alegria plena!

Liberdade é fazer tudo o que é justo, bom, legítimo e conforme a lei de Deus. Fora disto não seria escravidão?

Lembro-me das palavras do profeta Elias, dirigidas ao povo indeciso no Monte Carmelo:
“Até quando vacilareis de um lado para outro? Se o Senhor é o verdadeiro Deus, segui-o; mas se é Baal, segui a Baal!” I Reis 18,21
Sabemos que toda mediocridade tende a desmoronar. Que a bondade de Deus nos sustente como autênticos cristãos fazendo-nos “Sal da terra e Luz do mundo”, mostrando que existe um caminho seguro para a alegria verdadeira.

Diz um provérbio inglês que:

“O Cristão é a única Bíblia que ainda se lê no mundo”.

É portanto mérito e dever nosso, de modo agradável iluminarmos todas as classes e profissões com um autêntico testemunho, e assim oferecermos aos que nos são próximos uma direção otimista fecunda e vitoriosa.

Tenhamos a coragem de estender a mão para estes que procuram provavelmente em lugar incerto, a alegria que eleva a alma.


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.