“Amizade talvez seja isso... “

Já ouvi várias pessoas tentando descrever a amizade com palavras, e eu mesma, já fiz isso algumas vezes. Porém, por mais que tentemos nos expressar, parece que nos falta dizer mais e é sempre difícil descrever algo tão simples, e ao mesmo tempo, tão sublime, que nos faz experimentar o Céu na Terra. Quando eu era adolescente, caiu em minhas mãos um livro do Pe. Zezinho com este tema: “Amizade, talvez seja isso…” Na época, o li várias vezes, grifei-o quase por inteiro e, mais que isso, deixei seu conteúdo penetrar em minha alma.

Até hoje, o tenho comigo, e para mim, ele será sempre um referencial do tema amizade. Estive pensando sobre os amigos de Jesus… Diz a Sagrada Escritura que Ele era amigo de Marta, Maria, Lázaro e tantos outros. Imagine, só, desfrutar da amizade do Mestre! Recebê-lo em sua Casa, ouvir seus conselhos, olhar em seus olhos!… Fantástico, não!? Pois é, enquanto pensava assim, compreendi que Deus revela-me sua amizade na pessoa de meus amigos.

E foi fácil entender, pois é isso que experimento. Vou partilhar com você algo que vivi outro dia: Estava havendo um encontro promovido pela Canção Nova e eu era uma das pessoas que estava à frente. Naquele dia, havia vivido várias situações que me deixaram chateada e a própria realidade, a qual eu estava vivendo, fazia-me sofrer. Porém, estava lutando para viver na prática a proposta do Pe. Jonas, que diz: “O problema é meu, mas a cara é dos outros”.

Encontrei várias pessoas naquele evento, dentre as quais, um grande amigo. A Princípio cumprimentei-o como de costume, e disse-lhe que estava tudo bem. Ele conhecendo-me, logo percebeu que não era bem isso, e fez aquela pergunta que “descortinou minha alma”: “Está tudo bem mesmo!?” Como resposta, apenas o olhei já com os olhos envolvidos por lágrimas… Ele não falou quase nada, apenas me ouviu… Expressava no semblante sereno e ativo, o ar de acolhida e compreensão de que eu estava precisando. Após quase uma hora de profunda partilha, eu já não era mais a mesma! Sentia-me bem e em paz, parecia ter encontrado soluções para todos os problemas. E meu amigo não havia falado quase nada, apenas havia me acolhido… “Amizade talvez seja isso”!

Às vezes, na intenção de ajudarmos as pessoas, pensamos em mil coisas para lhes dizer alguma coisa e nos esquecemos de ouvi-las. Nossa desculpa é sempre a pressa, e na verdade, vamos deixando escapar o convívio, a partilha, a escuta… e como isso nos faz falta!

A tecnologia que é um grande bem, usada de maneira errada, torna-se um grande mal, pois afasta as pessoas do contanto pessoal. Basta observarmos tantos jovens que preferem ficar trancados no quarto frente ao computador, ao invés de jogar bola com os amigos, ir à praia, ao parque, ou simplesmente, bater papo na varanda. Desta forma, nossa geração torna-se cada vez mais individualista e solitária, daí, surgem os grandes males do século, inclusive a depressão. É que somos feitos por amor e para o amor, e desabrochamos no convívio com nossos semelhantes, e se isso não acontece, como estar bem!?

Pense, hoje, em seus amigos e nos fatos que marcaram sua história até aqui. Considere o valor da amizade em sua vida, e se pensando em seus amigos você lembrar de alguém que faz tempo que você não encontra, procure-o hoje mesmo! Quem sabe um telefonema, um e-mail ou uma carta, se estiver distante. Se possível, vá ao encontro dele, leve um abraço, uma palavra, um olhar, e os “ ouvidos bem atentos” … Expresse seu amor, sua presença! Amizade talvez seja isso…

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.