Ensinamento

A hora para renovar a paixão pela pedagogia de Jesus é agora!

Quero direcionar essa reflexão pelo ângulo do maior pedagogo da história: Jesus Cristo. Olhar a educação pela lente da fé evita certas miopias que desconsideram a pessoa humana como destinatária principal do processo educativo. Quando tomamos em mãos os evangelhos, identificamos logo a pessoa de Jesus Cristo como pedagogo do Pai.

Os evangelistas nos mostram que Jesus atraía pessoas, grupos e a multidão pelo seu modo de ensinar. Suas palavras e ações, seu método de ensinar estavam em sintonia com os costumes e as práticas da cultura semítica da qual ele se encarnou. É interessante que o Filho de Deus Encarnado fez de sua pedagogia algo simples e ao alcance de todos. Em Cristo, todos podem ser grandes educadores. Sua metodologia não é complexa, mas parte do cotidiano e do gesto de ternura para com cada pessoa.

A hora para renovar a paixão pela pedagogia de Jesus é agora!

Foto Ilustrativa: duncan1890 by GettyImages / cancaonova.com

A pegadogia de Jesus vai educar a pessoa por completo

Jesus ensina chamando as pessoas pelo nome. Para Jesus, ensinar é conhecer e se dar a conhecer, é deixar as pessoas virem ao encontro e ir encontrá-las. Nesse sentido, ensinar é escutar, contemplar rostos e olhares, é perguntar e responder perguntas, é ir às periferias geográficas e existenciais das pessoas. Educar é ir e ver! Foi indo à casa de Zaqueu que Cristo o educou para a partilha dos bens; foi à beira do poço de Jacó e através do diálogo com a Samaritana que a educou para anunciar a Boa Nova aos seus conterrâneos.

A proposta educativa de Jesus passa pelo crivo da educação integral. O educador, segundo a pedagogia de Jesus, é aquele que educa a pessoa em todas as suas dimensões e dialoga com todos os extratos sociais. Conforme nos faz ver o Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2022, Jesus era reconhecido como mestre por seus discípulos, pela multidão (Jo 1, 37-38; Mc 9,5), pelos doutores da Lei (Mt 22, 35-36), pelos fariseus (Lc 19, 39) e pelos saduceus (Lc 20, 27-28). Jesus conhecia as Escrituras na forma literária e na oralidade, portanto era capaz de conversar com a cultura de seu tempo.

Leia mais:
.:Família: lugar da pedagogia do amor
.:Jesus tem um jeito próprio de ensinar
.:As parábolas de Jesus são ensinamentos para a vida
.:Luz da Fé: A pedagogia de Deus nos faz esperar

De que forma Jesus ensinava?

Sua pedagogia particular apresentava-se de muitos modos. Jesus tinha três atitudes básicas: anunciar, ensinar e curar. Como recurso metodológico e didático, usava também parábolas, metáforas, comparações, provérbios, contrastes, enigmas, paradoxos e similitudes. Jesus entendia que educar significa mudar concepções, provocar autorreflexão. Seu empenho foi criar condições para despertar nos corações das pessoas o desejo de aprender, sobretudo as verdades importantes para a vida eterna. Jesus ensina como deve ser a relação filial entre aquele que reza e o Pai que está nos céus (Lc 11, 1-13).

De fato, a educação deve ser capaz de transformar vidas para o bem. Um projeto educativo a partir da pedagogia de Jesus não escolhe lugar fixo para ensinar. A vida é a maior escola! A saber, a vida onde ela é vivida: na casa, na igreja, na escola, no caminho, enfim, em todos os extratos sociais. Toda sociedade com suas instituições e organismos são atores educativos. Essa ideia moderna apregoada pelo Papa Francisco no Pacto Global de Educação fundamenta-se na pedagogia de Jesus Cristo. É preciso construir processos educativos, mais do que isso, criar ecossistemas educativos, pois o ser humano não é isolado do resto da natureza, a casa comum.

Em um mundo marcado por relativismos e ideologias de toda sorte, inclusive contrárias ao evangelho, conhecer e aplicar a pedagogia de Jesus se faz urgente. A pedagogia de Jesus liberta as diversas categorias de cativos. Por ensinar com sabedoria e amor, Jesus liberta o homem de seus pecados que criam analfabetismos de toda ordem.

banner pais e filhos


Padre Antonio Camilo de Paiva

Padre Antonio Camilo de Paiva, Mestre em Ciências da Comunicação, pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma; Vice-Reitor do Seminário Arquidiocesano Santo Antônio de Juiz de Fora; Coordenador e Professor do Curso de Teologia do UniAcademia e Seminário Santo Antônio e Vigário Episcopal para a Educação Comunicação e Cultura.

comentários