Mídias Sociais

Como usar o WhatsApp com maturidade

Aprenda algumas dicas de como usar o WhatsApp com maturidade no dia a dia

Quando falamos em WhatsApp, todos se lembram daquele assobio digital inconfundível. Hoje, ele se tornou uma ferramenta de comunicação que facilita o contato para todos os que possuem acesso à internet. Contudo, em meio à facilidade deste recurso de comunicação, o WhatsApp tem gerado algum mal-estar em muitos relacionamentos.

Tudo o que possuímos deve ser usado com sabedoria e discernimento. Com o WhatsApp, não é diferente.

Como usar o whatsap com maturidadeFoto: Daniel Mafra/cancaonova.com

Use-o com moderação

Gostaria de elencar algumas dicas de etiqueta para o uso desse aplicativo:

– O fato de você receber uma mensagem não indica a obrigação de respondê-la de imediato. Mesmo que tenha visualizado a mensagem, também não significa obrigatoriedade na resposta no momento exato de sua visualização. Nem todos podem responder a todas as mensagens que recebe vinte e quatro horas por dia. É preciso cuidado, pois o WhatsApp tem escravizado pessoas e feito de outras reféns de um aplicativo virtual.

– Ficar irritado com uma resposta não recebida, enviar mensagens grosseiras e mal-educadas simplesmente porque não obteve uma resposta no WhatsApp indica que a pessoa não tem maturidade suficiente para lidar com a ferramenta.

– Ninguém é obrigado a responder todas as mensagens “fofinhas” de “bom dia”, boa tarde” e “boa noite”. O fato de não responder não significa que a pessoa não o considera mais um amigo.

– Reduzir a amizade de anos a um aplicativo de comunicação é desvalorizar o amigo e dizer que o WhatsApp é mais importante que o contato real. Muitas amizades estão se perdendo pelo simples motivo de imaturidade de quem não o sabe usar.

Leia mais:
.: Perigo no uso das redes sociais
.: Como o celular pode desconectar o seu relacionamento
.: Você tem coragem de desligar?
.: Vício em eletrônicos pode desenvolver patologias

– Ficar cobrando resposta para algo banal e sem importância chega a ser o cúmulo da imaturidade. Essa atitude demonstra infantilidade.

– Você não é obrigado a participar de um grupo só porque toda a “galera” está lá. Se o grupo não acrescenta nada de importante à sua vida pessoal e espiritual, não tenha medo de sair.

– Não há nada mais estressante do que ficar lendo uma mensagem codificada, ou seja, escrita por partes intermináveis. Digite de uma única vez o assunto ou grave um áudio. Ninguém tem tempo suficiente para ficar escrevendo a conta-gotas.

– Há horário para tudo. Ficar mandando mensagens de WhatsApp tarde da noite é bastante incômodo para quem a recebe. Lembre-se: nem todos têm insônia. Para quem é vítima de receber mensagens a madrugada toda, recomendo desconectar o wi-fi e os dados móveis do dispositivo. Assim, seu sono será tranquilo. No outro dia, quando tiver tempo, você responde  as mensagens com calma e no seu tempo.

– Lembre-se de colocar seu aplicativo WhatsApp no silencioso. Nada mais desagradável do que ouvir aquele assobio em uma Missa, no teatro, no cinema ou em qualquer outro lugar.

– Por último: o WhatsApp é um aplicativo, um meio de comunicação, mas há outros meios de comunicação como telefonar, encontrar-se pessoalmente. Use com sabedoria esses meios, sem apelar para atitudes imaturas.

livro_phn_na_interner_ sete_pecados_virtuais


Padre Flávio Sobreiro

Bacharel em Filosofia pela PUCCAMP e Teólogo pela Faculdade Católica de Pouso Alegre (MG), padre Flávio Sobreiro é vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, em Santa Rita do Sapucaí (MG), e padre da Arquidiocese de Pouso Alegre (MG). É autor do livro “Amor Sem Fronteiras” pela Editora Canção Nova. Para saber mais sobre o sacerdote e acompanhar outras reflexões, acesse: facebook.com/peflaviosobreiro

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.