É a pessoa certa?

Tenha a coragem de romper um namoro que não o constrói

Cada dia vivido com a pessoa errada é um dia a menos com a pessoa certa

Namorar é um tempo esperado pela maioria dos adolescentes e jovens, é tempo de encontrar aquela pessoa que o fará feliz e o amará intensamente. O namoro pode começar com a amizade ou até mesmo com a atração física, mas, com o tempo, vai saindo da superficialidade e se aprofundando.

Foto ilustrativa: AntonioGuillem by Getty Images

Tempo de escolher

O namoro é uma fase bela de conhecimento na vida de duas pessoas, é o momento certo para escolher se é com essa pessoa que você quer passar o resto da sua vida.

Como diz o professor Felipe Aquino, “o namoro é o melhor momento para um divórcio”. Por isso, você não deve ter medo de romper um namoro se perceber que ele não o está construindo.

Quanto mais tempo de relacionamento, mais difícil será rompê-lo. Porém, é preciso pensar que cada dia vivido com a pessoa errada é um dia a menos com a pessoa certa.

Pior do que terminar um namoro é casar-se com a pessoa errada. É muito sério! Como é triste perceber que existem casais que vivem o sofrimento de perceber que eles não eram feitos um para o outro, não se adaptaram às diferenças próprias de cada gênero.

Filtros para o discernimento

É importante estabelecer alguns filtros para ajudar no processo de discernimento. Fazer algumas perguntas para si é fundamental.

É bom que estejamos juntos? O namoro faz bem para mim e para o outro? O nosso relacionamento é bom para a nossa família e para a sociedade? Nossas prioridades de vida são semelhantes?

A partir das respostas desses questionamentos, pode-se ter uma visão melhor se o seu namoro está progredindo ou regredindo. “Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito” (Romanos 12,2).

Testemunho

Eu já namorei três vezes antes de ingressar como membro da Comunidade Canção Nova. Em cada término, eu pude aprender muito e amadurecer afetivamente.

Sofri sim, tive noites mal dormidas, muitas lágrimas, não comia e pensava que eu não aguentaria aquele sofrimento. Mas, como a minha mãe dizia, “vai passar, porque tudo passa!”. E passou. Fiquei seis anos sem namorar até assumir um relacionamento sério com o Guilherme Zapparoli. Hoje, estou casada.

Cada fase que passamos juntos, vamos escolhendo um ao outro e decidimos pelo casamento. Porém, até chegarmos ao altar, passamos por uma fase de discernimento. É importante que seja assim, pois, depois de receber o sacramento do matrimônio, não há mais discernimento, é a decisão final, é o “para sempre”!

Ainda bem que os meus três últimos namoros não deram certo, e eu tive a coragem de romper com eles, pois, hoje, estou com a pessoa certa. Ele não é perfeito, mas é a justa medida que me conduz para mais perto de Deus. Portanto, namoro é tempo de fazer escolhas conscientes, que vão além de sentimentos e emoções.

Convido você a ter a coragem de romper um namoro que não o constrói, e a rezar comigo a oração de Santa Tereza D’Ávila: “Nada te perturbe, nada te amedronte. Tudo passa! Só Deus não muda. A paciência tudo alcança. Quem a Deus tem nada falta. Só Deus basta.”

E você, já teve a coragem de romper um namoro que não dava mais para seguir adiante?

Partilhe nos comentários!

Adquira o livro: "A mulher segundo o coração de Deus"

Adquira esse livro em nossa loja virtual

Adquira esse livro em nossa loja virtual

Adquira esse livro em nossa loja virtual

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.