Será que sou chato?

Você já pensou por que às vezes nos sentimos tristes? Muitas vezes é porque algo no trabalho não deu certo, ou nos sentimos solitários, talvez as coisas não vão bem em nada que tentamos, ou não nos sentimos amados por aqueles que amamos, ou porque talvez não tenhamos o que desejamos etc…

Não sei quanto a você, mas, muitas vezes, eu vejo que me torno uma pessoa chata quando estou triste. Sou tentado a ficar fechado, voltado ao meu “umbigo”, tentando resolver os meus problemas.

Uma coisa me impressiona quando me deparo com alguém triste: é uma pessoa chata!

Conheci uma senhora em minha cidade que há quase trinta anos vive em uma cama paralizada, com os braços e as pernas atrofiados. Ela não era assim, pois é mãe de família e por muitos anos trabalhou e viveu como uma pessoa normal. Essa mulher é uma das pessoas mais alegres, boas e acolhedoras que conheço. Mesmo na cama, doa-se, rezando por famílias e aconselhando aqueles que a procuram. Vários são os que ao visitá-la saem melhores, confortados e contagiados pelo testemunho dela.

Na minha opinião, o chato não é aquele que não sorri, que não é simpático, mas sim, aquele que vive pensando e agindo em torno de si mesmo. Ele é fechado aos outros, só procura o que lhe agrada e o que pode lhe fazer bem. Não há espaço para os demais dentro do seu coração, porque ele vive só, mesmo estando rodeado de pessoas. Isso pode acontecer com todo mundo, comigo já ocorreu várias vezes.

Descobri que a tristeza muitas vezes está relacionada ao nosso excesso de preocupação com nós mesmos. Quem cuida dos outros procura fazer o bem e vai ao encontro das necessidades daqueles que estão ao seu redor. Sempre será alegre e realizado. Em um coração assim a tristeza nunca pára, mesmo que às vezes insista em entrar.

Por que no enterro de João Paulo II foram tantas pessoas? Será que é só por que ele era uma pessoa importante? Vejamos o nosso amado padre Léo: deixou uma multidão que o amou e continuarão o amando, pois sua vida continua agora ao lado de Deus. Ele se doou, se colocou a serviço. Esse é o segredo desses grandes homens.

Bem, voltando ao assunto… o chato não é aquele com quem não nos sentimos bem em conviver, e sim, aquele que vive para si e não se doa nunca, quer sempre receber e nunca oferecer ajuda. Quem não vive assim?

Todos temos, por causa do pecado original, a tendência de nos colocarmos sempre em primeiro lugar. Sendo assim, você e eu podemos ser os verdadeiros chatos. Todavia, podemos ser pessoas legais de verdade se reconhecermos os dons que Deus nos deu e depois colocá-los a serviço dos demais, a começar pelos que estão ao nosso redor.

O chato então tornar-se legal, deixa a tristeza e ganha o céu.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.