Caridade

O momento para falar a verdade

Falar a verdade consiste na prática do amor e da caridade

Todos nós temos a liberdade de falar o que pensamos e sentimos. No entanto, falar abertamente, na franqueza dos nossos sentimentos, a respeito de alguma coisa, muitas vezes, pode causar um efeito contrário ao pretendido. A verdade que procuramos cultivar como virtude poderá ser classificada como uma atitude de grosseria ou parecer como um terrível ato de má educação no conceito da outra pessoa.


Foto: g-stockstudio

Todos nós temos o direito de expressar nossos sentimentos sobre um fato, porém, isso poderá resultar em situações pouco salutares aos nossos relacionamentos, principalmente quando faltarem a sabedoria e o discernimento para identificarmos qual é o melhor momento de fazê-lo.

O perigo de não falar a verdade

Quantas amizades, casamentos e outros tipos de relacionamentos esfriaram em função da franqueza aplicada ao modo de falar!

Não é de interesse de ninguém viver mascarando seus verdadeiros pensamentos e opiniões sobre o que tem experimentado dentro do seu convívio. Entretanto, não nos estão reservados, com exclusividade, a situação e o momento que achamos ser os mais apropriados para se falar.

Muitas pessoas, ao viverem um acesso de descontentamento, e lançando mão do direito da franqueza, permitem-se traduzir em palavras, com pitadas de raiva e frustração, suas impressões.

Em outras ocasiões, enumeram uma lista de faltas sobre aquele que julgam não proceder a seu contento. Nesse momento, quase que em uma posição de desafio, firmam opiniões, não querendo saber se o que têm a dizer é de interesse de uma plateia, e acabam expondo e diminuindo aquele a quem consideram amigo.

Quais seriam os procedimentos elementares que deveríamos adotar quando estamos exercitando a liberdade de expressão?

Falar a verdade, muitas vezes, pode estar fundamentado na própria necessidade de desabafar, de jogar para fora o que está nos incomodando, em vez de favorecer o crescimento da outra pessoa.

Leia mais:
:: Em tempos de redes sociais, como manter uma amizade fisicamente?
:: A amizade segundo Santo Agostinho
:: As três fases para formação da amizade
:: A importância da amizade para o desenvolvimento emocional

Não ofender o próximo

A verdade, que achamos necessário ser expressa, precisa de antemão, convencer e não ofender o nosso próximo, pois, por si só, ela já desconcerta aquele que acreditava estar vivendo retamente.

Se quisermos apresentar, de forma franca, nossa opinião, com o objetivo de trazer uma nova possibilidade de entendimento, de ensinar ou até mesmo de advertir alguém, a sabedoria de um ancião deverá controlar o ímpeto de um coração ávido do desejo de consertar o mundo.

Longe de se estabelecer uma técnica de observância para o melhor momento de se falar a verdade, está a necessidade de apurar a sensibilidade para aplicar, também nas palavras, a prática do amor e da caridade.

Falar a verdade não isenta os mais idosos, tampouco aqueles que, devido ao longo tempo de convivência, possam ter adquirido a falsa impressão de ter alcançado o direito de exprimir tudo o que pensam sobre os demais.

Em nome da sinceridade, que consideramos ser justa, podemos matar a possibilidade de alargar as fronteiras e aprofundar nossas experiências de amizade.

Um abraço,


Dado Moura

Dado Moura trabalha atualmente na  Editora Canção Nova, autor de 4 livros, todos direcionados a boa vivência em nossos relacionamentos. Outros temas do autor estão disponíveis em www.meurelacionamento.net twitter: @dadomoura facebook: www.facebook.com/reflexoes

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.