As raízes da amizade

“Livre de toda a maldade
Essa tal de amizade
Pra mim é raiz…
Necessidade da terra presença essencial para a vida…”
(música “Arvoreando” – Maninho)

Entre as várias comparações, que já vi, na tentativa de decifrar o nobre sentimento da amizade, hoje, concordo com o cantor Maninho, quando compara a amizade com uma árvore.
Ambas necessitam de cuidados especiais para lançar raízes, crescer e frutificar. Tenho aprendido, cada vez mais, com a verdade que se esconde nesta comparação.

As raízes, que encontramos no chão de nossa história e nos sustentam durante os ventos e vendavais da vida, são provas de que verdadeiros amigos, ao passarem por nós, deixam marcas que o tempo nem a distância conseguem apagar.

Quem não se lembra daquele amiguinho da escola, nosso cúmplice em todas as horas? Ou da turma do bairro, aqueles com os quais dividíamos sonhos, lanches, brinquedos, lágrimas e sorrisos?

Amigo de verdade é uma espécie de irmão! Ao seu lado é fácil ser feliz, pois a companhia de um amigo é sinônimo de felicidade. Porque o amigo tem, entre outras características, o dom de nos fazer felizes com poucas coisas. É aquele que dá e não espera retorno, ou melhor, se dá sem esperar recompensas. Sente o que sentimos, compreende o que pensamos, mesmo quando nem nós conseguimos expressar.

Amigo é o sol que enxuga nossas lágrimas. É aquele que percebe, pelo olhar, nossos desejos, disfarces, alegrias e medos. Tem a palavra certa na hora certa, ou o silêncio certo na hora certa.

É difícil continuar definindo “amigo”, mas isso não vem ao caso agora. Basta saber que amigo é presente em qualquer tempo e lugar. Quando viajo e fico diante de lugares bonitos, em fração de segundos, vou identificando, em algum recanto de minha alma, a presença de meus amigos. Quero todos comigo em meus melhores momentos. E é sempre assim… Todos os dias, alguma cena, música, flor, lua, mar, comida, paisagem, enfim… Tornam-se meios para avivar a lembrança de meus amigos.

Hoje é dia de identificar as raízes da verdadeira amizade dentro de nós. É dia de agradecer a Deus por cada amigo, e a cada amigo por nos ajudar a ser quem somos. Expressar nosso afeto, quebrar a distância, reavivar a chama do amor puro e sincero, próprio da amizade. Talvez meus amigos não tenham noção do quanto são necessários e indispensáveis para meu equilíbrio e alegria de viver. Mas Deus sabe, pois sempre Lhe falo sobre eles em minhas preces!

Conquistar novos amigos é bom e importante, mas jamais podemos esquecer aqueles, que há muito tempo, lançaram raízes em nosso solo, estes são alicerces para nossa felicidade.

É dia de gratidão, sem perder tempo busque seus amigos e diga-lhes o quanto são preciosos para você!


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.