Amizades que não nos deixam

Dia 20 de julho é comemorado o dia do amigo. Nestes dias eu estava me perguntando quem eram os meus amigos e onde eles estavam. Então, lembrei de uma frase de William Shakespeare sobre a amizade: “Depois de algum tempo você aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer, mesmo a longas distâncias e o que importa não é o que você tem na vida, mas quem você tem na vida”.

Então, me surpreendi em ver que tenho comigo amigos há dezessete, dez, oito, sete, cinco, quatro, dois anos…
O Senhor, ao passar do tempo, foi purificando as nossas amizades, que suportaram a distância, o tempo e a falta de comunicação.
Mas, o bonito é que não deixam de ser meus amigos!
E quando menos espero, Deus nos providencia um reencontro. Então, percebemos que a distância e o tempo não existem e a amizade volta naquele mesmo ponto em que parou.

Como gostaria, no dia do amigo, de estar com cada um, sentar com eles para conversar, chorar, dar boas risadas… Mas, não importa. Sei que onde eu estiver eles vão estar comigo. Mesmo que não possa vê-los, vão estar a me encorajar e a dizer: “- Vai, você consegue!” Ou, ainda: “- Pode contar comigo!” “- Não faça isso!”

A condição de saber que eles existem já me basta e me encoraja a seguir em frente pela vida… Quero que saibam e sintam que eu os amo, embora eu não declare e não os procure sempre.
Realmente, como diz o Eclesiástico: “quem encontrou um amigo encontrou um tesouro”.

Em Jesus encontrei a definição de amigo. Ele diz: “Não há maior amor que dar a vida pelos amigos”.
Foi o que Ele fez por cada um de nós e nos mostra que a verdadeira amizade precisa ser conquistada e nunca comprada.
Para um amigo se dá amizade e vida, e foi o que Jesus nos deu: seu Corpo, Sangue, Alma e Divindade, o melhor de Si.

Que possamos aprender com Ele a dar nossa amizade e nossa vida por nossos amigos!

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.