A alegria está em conhecer

O que é alegria? Como encontrá-la? Qual sua essência? Bem, a resposta para todas essas perguntas eu também estou à procura.

Confesso que meu coração fica muito inquieto e “mexido” quando estou na presença de alguém cheio de alegria, porque, normalmente, essas pessoas são cheias de sentido para viver.

Não me refiro à alegria de ter tudo, de ser reconhecido ou aquela alegria de apenas uma noite e dos prazeres passageiros. Refiro-me à alegria verdadeira. O que mais desejo não é estar alegre – isso é fácil. Quero ser alegre. O que é bem diferente.

Descobri por meio de uma amiga à distância, outro amigo – o Conhecimento. A aventura de descobrir alguém que, muitas vezes, mora bem pertinho de nós e que convive do nosso lado. Pode ser um colega de trabalho ou aquela pessoa que serve todo dia de manhã o nosso cafezinho no balcão da lanchonete.

Conhecer o que pensamos que já conhecemos! Engraçado, não? Como posso conhecer algo que já conheço? Ouvi, nessa semana, uma frase de Augusto Cury que me fez refletir muito: “Existem pessoas com quilômetros de conhecimento e centímetros de profundidade”. Verdade! Conheço, mas muitas vezes, paro nos quilômetros e não me aprofundo.

Cada dia atesto essa verdade : “O ser humano é um Mistério”. E todo mistério necessita de tempo para ser conhecido. Nunca vamos esgotar o mistério da humanidade, da amizade e do amor.

E por que o conhecimento me trouxe alegria? Simples. Bastou um pouco de vontade. Vontade de se abrir para aquela pessoa tão distante do meu coração.

Se soubéssemos as belezas e os jardins secretos que existem por trás de cada rosto que vemos todos os dias, seríamos com certeza mais felizes. Só que os rostos, muitas vezes, não são muito atrativos. Alguns nos parecem tristes demais, outros muito alegres, alguns apáticos etc… não é verdade?

Quantas vezes eu parei no rosto, no que penso, no que acho, nos meus milhares de rótulos. E com isso, como deixei de ser feliz, como deixei de me alegrar com a beleza e com o tesouro do outro. Não fui capaz de entrar, de conhecê-lo, e por isso fui menos feliz.

Não quero mais perder tempo, desejo conhecer muitos jardins… Quantas vidas lindas! Quantas flores, quantos sorrisos! Existem flores no meu próprio jardim que eu ainda não conheço, outras que ainda não brotaram, elas virão e serão descobertas e fecundadas com o amor de outras pessoas.

Sou mais alegre porque o conheci! Desejo conhecer cada vez mais. E quanto a você?

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.