Retiro Popular: O hábito da oração consciente

Quinta Semana: A Missão

1. Oração da manhã

Durante o Retiro Popular, muitas pessoas retomam o hábito da oração freqüente, conscientes de que é preciso rezar sempre. Um bom ritmo de oração deve constar de oração de louvor a Deus no início do dia, oração da noite com o exame de consciência, leitura diária meditada da Bíblia e oração às refeições.
Na medida do possível, faça sempre uma visita ao Santíssimo Sacramento, quando passar pela Igreja. É claro que o coração de sua semana há de ser sempre a Missa Dominical.
Acolha as sugestões que apresentamos no retiro, a fim de que sua oração encontre o modo adequado às suas possibilidades, sem deixar apagar o desejo de amar e conhecer a Deus. Faça com atenção e piedade sua oração da manhã:

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.
Vinde, Espírito Santo, com o Filho e com o Pai, inundai a nossa mente, nossa vida iluminai. Boca, olhos, mãos, sentidos, tudo possa irradiar o amor que em nós pusestes, para os outros inflamar. A Deus Pai e a seu Filho, por vós, dai-nos conhecer, que de ambos procedeis dai-nos sempre firmes crer. Amém!

Senhor, no início deste dia, venho pedir-te saúde, força, paz e sabedoria. Quero olhar hoje o mundo com olhos cheios de amor, ser paciente, compreensivo, manso e prudente; ver, além das aparências, teus filhos como tu mesmo os vês, e assim não ver senão o bem em cada um. Fecha os meus ouvidos a toda a calúnia. Guarda a minha língua de toda a maldade. Que só de bênçãos se encha o meu espírito. Que eu seja tão bondoso e alegre, que todos quantos se aproximarem de mim, sintam a tua presença.
Senhor, reveste-me da tua beleza, e que, no decurso deste dia, eu te revele a todos. Amém.

Reze o Credo, o Pai-Nosso, a Ave-Maria e o Glória ao Pai.
Depois, de, leia os textos da Palavra de Deus que são proclamadas a cada dia da quinta semana da Quaresma na Santa Missa. Escolha uma frase para viver durante o dia. Durante a semana, faça a Via-Sacra proposta no Retiro Popular.

2. Meditação

Esta é a última semana de nosso Retiro Popular, marcada pela preparação mais próxima para a Semana Santa. Ao participar da Liturgia da Missa durante estes dias, e esta pode ser uma excelente idéia para completar o retiro, você terá a impressão de que as Leituras nos mostram um “tribunal” montado para o julgamento de Jesus. Pouco a pouco, o que é apresentado como réu se mostra Juiz da história e de nossas vidas, assentado no trono, que é a sua Cruz.
Ao mesmo tempo, ele abre aos discípulos o horizonte mais largo da missão, acolhendo os que chegam de longe, para que a Igreja, em todos os tempos, se abra a todos e procure a todos.
“Havia alguns gregos entre os que tinham subido a Jerusalém para adorar durante a festa. Eles se aproximaram de Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, e disseram: ‘Senhor, queremos ver Jesus’. Filipe conversou com André, e os dois foram falar com Jesus. Jesus respondeu-lhes: ‘Chegou a hora em que o Filho do Homem vai ser glorificado.

Em verdade, em verdade, vos digo: se o grão de trigo que cai na terra não morre, fica só.
Mas, se morre, produz muito fruto. Quem se apega à sua vida, perde-a; mas quem não faz conta de sua vida neste mundo, há de guardá-la para a vida eterna. Se alguém quer me servir, siga-me, e onde eu estiver, estará também aquele que me serve. Se alguém me serve, meu Pai o honrará. Minha alma está perturbada. E que direi? ‘Pai, livra-me desta hora’? Mas foi precisamente para esta hora que eu vim. Pai, glorifica o teu nome!’ Veio, então, uma voz do céu: ‘Eu já o glorifiquei, e o glorificarei de novo’. A multidão que ali estava e ouviu, dizia que tinha sido um trovão.
Outros afirmavam: ‘Foi um anjo que falou com ele’. Jesus respondeu: ‘Esta voz que ouvistes não foi por causa de mim, mas por vossa causa. É agora o julgamento deste mundo. Agora o chefe deste mundo vai ser expulso, e quando eu for levantado da terra, atrairei todos a mim’. Ele falava assim para indicar de que morte iria morrer” .

“O discípulo, à medida que conhece e ama a seu Senhor, experimenta a necessidade de compartilhar com outros a sua alegria de ser enviado, de ir ao mundo para anunciar Jesus Cristo, morto e ressuscitado, a fazer realidade o amor e o serviço na pessoa dos mais necessitados, em uma palavra, a construir o Reino de Deus.
A missão é inseparável do discipulado, o qual não deve ser entendido como uma etapa posterior à formação, ainda
que ela seja realizada de diversas maneiras de acordo com a própria vocação e ao momento da maturidade humana e cristã em que se encontre a pessoa” .

Leituras para o quinto domingo da Quaresma:

Jr 31, 31-34
Sl 50 (51), 3-4.12-13.14-15 (R/. 12a)
Hb 5, 7-9
Jo 12, 20-33

Termine seu retiro do dia acompanhando as orações para a 5ª semana

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.