Retiro Popular - Primeira Semana

Nossa entrada no Mistério Pascal de Cristo se expressa com uma palavra: conversão. Conversão é mudança de mentalidade, retorno, mudança de rumo. A proposta é que nossa mentalidade mundana, distante do Evangelho, se converta em mentalidade cristã; que nossas estradas de pecado, carnais e materialistas, se mudem em caminhos de graça, numa vida segundo o Espírito; que no lugar em que reinava o egoísmo, que fecha as portas para Deus e o próximo, aconteça uma nova abertura para Deus e um novo amor ao próximo. Começando da mentalidade, tudo o mais poderá ser transformado, de modo que nossa fé ilumine todos os passos da vida.

O anúncio do Evangelho levou os apóstolos e todos os discípulos de Cristo, pelos séculos afora, a tocarem em todas as situações humanas. Não há fronteiras intransponíveis para o anúncio do amor de Deus. Todos são chamados à conversão! Não podemos excluir ninguém do convite e as portas devem estar escancaradas para todas as situações humanas. Por maiores que sejam os pecados humanos, Deus olha para todas as pessoas e quer que seu amor as alcance.

Nosso Retiro nos conduz a uma experiência de deserto, nos tempos de silêncio a serem desfrutados durante a primeira semana, quando confrontamos nossa história com o amor de Deus que vem ao nosso encontro. Só que este deserto não conhece solidão, pois o Senhor está conosco e nos envia seu Espírito. Ao iniciar sua oração de Retiro, peça o dom do Espírito Santo.

O pão da palavra

A Igreja nos oferece meios para viver a Quaresma. Antes de tudo, a Palavra de Deus. Nós nos sentamos de novo na Escola da Palavra para aprender: “Quem medita dia e noite sobre a Lei do Senhor dará seu fruto no devido tempo” (Sl 1,2-3). Para esta semana, acolha a proposta de leitura orante da Palavra de Deus, com as seguintes indicações:

Dia 25 de Fevereiro, primeiro domingo da Quaresma

Leia antes de participar da Santa Missa os textos da Liturgia Dominical: Dt 26,4-10; Sl 90; Rm 10,8-13; Lc 4,1-13. Prepare-se bem para a Santa Missa. É seu Retiro de hoje!

Primeira semana da Quaresma


Com as indicações para a leitura orante da Palavra de Deus, reze com os seguintes textos:

Dia 26 de fevereiro, segunda-feira: Ex2,11-25; 3,1-22; 4,1-17.

É o fracasso da violência. Moisés sai dos privilégios da Corte, em solidariedade com os irmãos. Diante das injustiças, age sozinho, sem o mandato de Deus, e sua violência o desacredita diante dos seus. Só depois, revestido de aparente fraqueza, mas com a missão que lhe foi conferida, pode viver uma nova missão. Deus escolhe as pessoas, mesmo quando elas têm um passado marcado pela violência e pela maldade. Ele muda a vida.

Quarenta dias “de joelhos”

“Concedei-nos progredir no conhecimento de Jesus Cristo e corresponder a seu amor por uma vida santa”. A leitura da Palavra de Deus nos conduz a uma oração mais intensa. As mudanças a serem realizadas em nossa vida não acontecem sem a ajuda de Deus. Por isso nos colocamos em oração, pedindo a salvação pascal para toda a comunidade e para cada um de seus membros. De joelhos, sentados ou em pé, seja qual for a nossa posição, dediquemo-nos a uma oração mais intensa durante a Quaresma, para fazer nosso Retiro.

A oração, sobretudo da Eucaristia dominical juntamente com sua família, onde, em torno do novo Cordeiro pascal, Cristo, e identificados com ele, dirigimos ao Pai nossa Ação de Graças pela nossa salvação pascal e participamos do Corpo e Sangue de Cristo.

Na primeira semana, coloque também em relevo a Oração do Rosário, com os mistérios de cada dia.
– Rezar a cada dia o Salmo 50:

– Tende piedade, ó meu Deus, misericórdia! Na imensidão de vosso amor, purificai-me! Lavai-me inteiro do pecado, e apagai completamente a minha culpa! Eu reconheço toda a minha iniqüidade, o meu pecado está sempre à minha frente. Foi contra vós, só contra vós, que eu pequei, e pratiquei o que é mau aos vossos olhos! Mostrais assim quanto sois justo na sentença, e quanto é reto o julgamento que fazeis.

– Vede, Senhor, que eu nasci na iniqüidade e pecador já minha mãe me concebeu. Mas vós amais os corações que são sinceros, na intimidade me ensinais sabedoria. Aspergi-me e serei puro do pecado, e mais branco do que a neve ficarei. Fazei-me ouvir cantos de festa e de alegria, e exultarão estes meus ossos que esmagastes. Desviai o vosso olhar dos meus pecados e apagai todas as minhas transgressões!

–Criai em mim um coração que seja puro, dai-me de novo um espírito decidido. Ó Senhor, não me afasteis de vossa face, nem retireis de mim o vosso Santo Espírito! Dai-me de novo a alegria de ser salvo e confirmai-me com espírito generoso! Ensinarei vosso caminho aos pecadores, e para vós se voltarão os transviados.

– Da morte, como pena, libertai-me, e minha língua exaltará vossa justiça! Abri meus lábios, ó Senhor, para cantar, e minha boca anunciará vosso louvor! Pois não são de vosso agrado os sacrifícios, e, se oferto um holocausto, o rejeitais. Meu sacrifício é minha alma penitente, não desprezeis um coração arrependido!

– Sede benigno com Sião, por vossa graça, reconstruí Jerusalém e os seus muros! E aceitareis o verdadeiro sacrifício, os holocaustos e oblações em vosso altar!

O jejum

Com a oração e a Palavra, a Quaresma nos convida a um trabalho pessoal e coletivo de jejum.

O jejum quaresmal é “jejuar do homem velho”. É a renúncia à própria estrada para assumir a estrada de Cristo. Se uma pessoa se priva de um prato de alimento, mas não renuncia ao seu rancor e ao seu desejo de vingança, ficou na superfície do jejum e da mortificação.

Na primeira semana queremos propor o jejum da boca: praticar a renúncia a uma parte do alimento, pelo menos um dia da primeira semana, de acordo com suas possibilidades.

Quaresma de caridade

“Sabeis qual é o jejum que eu aprecio? -diz o Senhor Deus: É romper as cadeias injustas, desatar as cordas do jugo, mandar embora livres os oprimidos, e quebrar toda espécie de jugo. É repartir seu alimento com o esfaimado, dar abrigo aos infelizes sem asilo, vestir os maltrapilhos, em lugar de desviar-se de seu semelhante. Então tua luz surgirá como a aurora, e tuas feridas não tardarão a cicatrizar-se; tua justiça caminhará diante de ti, e a glória do Senhor seguirá na tua retaguarda” (Is 58,6-8).

Um dos sinais da compreensão exata do jejum é o de que ele conduza à caridade. “O que cada um tira de suas satisfações pessoais, dê aos fracos e pobres”. Na primeira semana, partilhar com os mais pobres o resultado do jejum, através de uma visita a uma família necessitada.

:: Saiba com fazer o Retiro Popular

Extraído do livro “Crê no Senhor Jesus e serás salvo” (Retiro Popular 2007) de Dom Alberto Taveira Corrêa

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.