Busque ajuda

Você já se questionou sobre a necessidade de cura interior?

Siga alguns passos práticos para responder ao questionamento do nosso interior

Primeiro passo: Saber o que está acontecendo com você. Isso se chama observação. Olhar os sintomas e anotar, observar tudo: sintomas físicos, doenças que você traz e que se passam com você. Tomar nota de tudo o que acontece com seu corpo.

Fazer muitas perguntas a si mesmo, anotar cada detalhe, enfim, tomar nota dos sintomas físicos; é preciso fazer isso bem feito. Depois, anotar todos os sintomas emocionais, pois eles são o espelho do que você vive interiormente (exemplo: quando você está sozinho, o que você sente?). Ficar atento aos sentimentos e ainda tomar nota das atitudes de vida, pois elas são reflexo do que você vive interiormente. Como você se comporta? Saiba que dizer uma mentira é sintoma de um problema muito mais profundo. Não podemos rezar somente pelos sintomas, pois assim a cura não acontece.

Eu preciso de cura interior Onde eu preciso de cura interiorFoto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Segundo passo: Descobrir a doença, dar nome ao seu diagnóstico, orar pela cura profunda. Quais são os problemas emocionais profundos? Padre Rufus, quando esteve na Canção Nova, ensinou que são quatro as feridas profundas que nos atingem:

Rejeição

Como ela vem? Quando não nos sentimos amados e queridos pelas pessoas que nos são importantes e próximas. Não que elas não nos amem, mas nós nos sentimos assim. Os sentimentos que podem existir são raiva, amargura, tristeza, ódio, inveja dos amigos, suspeita e falta de confiança nas pessoas. Essa é a mais importante ferida emocional. A grande dor que Jesus sentiu foi a da rejeição.

Sentimento de culpa

Esse sentimento acontece quando a pessoa é criada em uma família muito religiosa, em que alguns conceitos são passados de maneira errada. Por  exemplo: “Papai do céu vai te castigar”, “Papai do céu está vendo tudo que você está fazendo de errado”. A culpa saudável nos leva à conversão, mas a culpa errada nos leva a ter medo de Deus, medo do castigo eterno e a fazer coisas com medo d’Ele.

Sentimento de inferioridade

Quando a criança nasce, ela está cheia de sentimentos de superioridade. Todos olham para ela, torna-se o centro das atenções. Porém, quando a criança cresce, as pessoas se cansam e ela deixa de ser o centro. Talvez, ela até escute dos pais expressões como: você é ruim, você é mau… Isso forma na criança uma imagem pobre de si mesma, vinda de palavras negativas que chegam a ela. Nasce com isso o sentimento de autopiedade, o ódio de si mesma e depois a autodestruição, chegando, muitas vezes, ao suicídio.

Leia mais:
.: Como buscar a cura física e espiritual para a nossa vida e família
.: Sete dicas para trilhar um caminho de cura interior
.: A cura interior gera um ambiente familiar saudável
.: Curando-se de todos os sentimentos de culpa

Medos

Não me refiro aos medos pequenos, mas sim àqueles que paralisam a pessoa, fechando-a em si mesma, como medo da morte, medo de ficar sozinha, medo do diabo entre outros.

O terceiro passo é o mais importante: encontrarmos as causas profundas que nos levam a ter esses problemas emocionais, buscar a fonte dos problemas das pessoas. Como está escrito no início, não basta rezar pelos sintomas, é preciso rezar pelas causas.

Atitude prática

Orar ao Espírito Santo e refletir sobre sua vida passada. A adoração ao Santíssimo Sacramento é fonte de cura e libertação. Fale para Jesus concretamente o que aconteceu com você. Se você tem facilidade, escreva e leia para Ele. O Senhor nos lava e purifica de tudo o que foi deformando a imagem de Deus em nós. O que você pode escrever?

– Seu nome (muitas vezes, a causa dos problemas estão relacionadas ao nome);
– Seu sexo (muitas vezes, o problema está relacionado ao seu sexo);
– Idade (dia do aniversário e ano de nascimento);
– Ocupação (quais cursos você fez e faz agora?);
– Coisas da sua família (seus pais, seu relacionamentos com eles, seus irmãos, onde você está na sua família. Teve alguma morte? Qual sua situação financeira, sua história, sua raça? Escreva tudo o que achar importante);
– Seus ancestrais (alguém que precisa de oração, os pecados que você conhece dos seus antepassados. É importante saber se há algum problema na sua árvore genealógica);
– O que você fez de errado (para Deus, para si mesmo, para os outros)? Isso é matéria de confissão. O sacramento da reconciliação é fonte de cura e libertação;
– O que fizeram de errado para você? (causa de aconselhamento, busca por ajuda, alguém que possa rezar pela sua cura interior).

Esse é um caminho que podemos trilhar. Monsenhor Jonas Abib nos diz que a restauração da pessoa começa pelo positivo daquilo que ela é, a partir daquilo que Deus lhe fez, a partir das qualidades, das riquezas de seu ser. Tomá-las, assumi-las e colocá-las em ação. É isso que a faz crescer.

Vera Lúcia Reis
Membro da Comunidade Canção Nova

Trecho retirado do livro – ‘A cura da nossa afetividade e sexualidade’

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.