Quero vencer

Como fazer dos obstáculos uma oportunidade?

A grandeza de Deus é transformar o mal em um bem maior. Então, como fazer dos obstáculos uma oportunidade?

Sem dúvida, a virtude de uma pessoa madura e feliz é a capacidade que ela tem de superar os obstáculos. Isso simplesmente porque a vida é cheia deles, não só pelos desafios que existem, mas também por causa dos fracassos, dos desastres, das fatalidades e doenças que percorrem nossa vida. Grandes homens e mulheres da história tornaram-se notáveis após superar desastres na vida. Tantas vezes, é exatamente em razão desses obstáculos é que tantas vezes surgiram os grandes homens da história. Uma dificuldade, quando vivida sob as virtudes humanas, tem a força de fazer emergir o que existe de mais nobre em uma pessoa. O inverso também é verdadeiro. Se as dificuldades nos lançarem nos vícios e nos rancores, descobriremos as piores feras que existem em nós.

Fazer dos obstáculos uma oportunidade

Na ótica cristã, essa verdade tem um significado ainda maior. Deus vence o mal não o destruindo simplesmente, aniquilando sua existência. A grandeza do Senhor é transformar o mal em um bem maior. O ápice de Sua vitória é a cruz; nela o mal é derrotado. Mas como Deus faz isso? Esse “como” é que confunde os homens. São Paulo nos diz: “Escândalo para os judeus e loucura para os pagãos” (cf. 1Cor 1,23). Na cruz, todo ódio é respondido com amor infinito. A morte, que era o fim da vida, passa a ser o começo da eternidade. A cruz, que era sinal de horrores, agora é símbolo da salvação. O pecado que condenava, agora conhece a misericórdia, de tal forma que Santo Agostinho pôde dizer: “Bendito pecado que mereceu tamanha misericórdia!”.

Nós deveríamos aprender a viver essa dinâmica de salvação em nossas dificuldades. Aliás, a salvação não é somente para a eternidade, ela é graça que transforma todo mal em nossa vida em um bem maior. A salvação é agora! Temos de aprender essa dinâmica de Deus. Isso é sabedoria! Para viver assim não basta crer em Jesus, é preciso buscar Sua sabedoria. Acredito que é nesse sentido que exortava São Tiago sobre a fé sem obras, quando lemos em sua carta no capítulo 2,19: “Crês que há um só Deus. Fazes bem. Também os demônios creem e tremem”. A obra da fé é nossa salvação vivida de forma real.

Qual é essa dinâmica da salvação em meio às dificuldades da vida?

Começa por crer e confiar em Deus. “Quem crê será salvo, mas quem não crê já está condenado”. Quem não crê e não confia em Jesus não pode receber Suas graças e tesouros.

É preciso uma conformação à Palavra de Deus, porque é por meio dela que aprendemos a sabedoria divina. Com ela aprendemos a olhar o mundo, a refletir sobre a vida e reagir diante dos acontecimentos segundo o coração do Pai.

Temos de agir concretamente e, diante de cada situação, encontrar a resposta correta. Essa resposta sempre passará pelo amor de Deus e pela obediência a Ele. Mas o que é amar e obedecer a Deus em cada situação? Em uma hora, pode significar mansidão e paciência; em outra, firmeza e ação. Essa resposta está na sabedoria que o Espírito Santo nos dá, especialmente na intimidade com a Palavra de Deus. Mas a resposta sempre será bondade e louvor a Ele. Onde existem a bondade do amor e o louvor da obediência ali está o Senhor. Uma pista para esse discernimento é perguntar para Deus: “Para que me serve essa dificuldade?”. Atenção, isso é diferente de perguntar o “porquê”, no sentido de lamuriar os acontecimentos. No “para que” se busca o sentido de cada coisa.

Por fim é preciso viver tudo sob a virtude da esperança. “A paciência prova a fidelidade e a fidelidade comprovada produz a esperança. E a esperança não engana” (Rm 5,4-5). Quem espera em Deus nunca será enganado. Esperar no Senhor é viver desejando que a vontade d’Ele governe todas as coisas. Espera em Deus quem ama a Sua vontade. Isso é diferente das expectativas que criamos, achando que Ele vai agir segundo nossas vontades. Quando vivemos sob a esperança divina, nos lançamos nos braços do Senhor na certeza que Ele tem para nós os melhores bens. “Coisas que os olhos não viram nem os ouvidos ouviram, nem o coração humano imaginou, tais são os bens que Deus tem preparado para aqueles que o amam” (1Cor 2,9).

Termino essa reflexão com um verdadeiro poema de quem soube superar inúmeros obstáculos firmado no amor de Deus:

“Que diremos depois disso? Se Deus é por nós, quem será contra nós? Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação? A angústia? A perseguição? A fome? A nudez? O perigo? A espada? Realmente está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte o dia inteiro; somos tratados como gado destinado ao matadouro. Mas, em todas essas coisas, somos mais que vencedores pela virtude daquele que nos amou” (Rm 8, 31. 35-37).

Leia mais:

:: Fomos todos feitos para a felicidade
:: Oportunidade para recomeçar
:: Como posso ajudar o outro?

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.