Eu preciso de cura interior?

Passos práticos para responder ao questionamento do nosso interior. Eu preciso de cura interior? Onde eu preciso de cura interior?

Primeiro passo: Saber o que está acontecendo com você. Isso se chama observação! Olhar os sintomas e anotar. Observar tudo: sintomas físicos, doenças que você traz e que se passam com você.
Tomar nota de tudo o que acontece com o seu corpo.

Fazer muitas perguntas a si mesmo, anotar cada detalhe, enfim, tomar nota dos sintomas físicos; é preciso fazer isso bem feito. Depois anotar todos sintomas emocionais, eles são o espelho do que você vive interiormente (exemplo: quando você está sozinho, o que você sente?). Ficar atento aos sentimentos. E ainda: tomar nota das atitudes de vida, elas são reflexo do que você vive interiormente. Como você se comporta? (exemplo: dizer uma mentira é sintoma de um problema muito mais profundo). Não podemos rezar somente pelos sintomas, pois assim a cura não acontece.

Segundo passo: Descobrir a doença, dar nome ao seu diagnóstico. Orar pela cura profunda. Quais são os problemas emocionais profundos? O padre Rufus, quando esteve aqui na Canção Nova, ensinou que são quatro as feridas profundas que nos atingem:

1) Rejeição: Como ela vem? Quando não me sinto amado e querido pelas pessoas que me são importantes e próximas. Não que elas não me amem, eu sinto assim. (Sentimentos que podem existir: raiva, amargura, tristeza, ódio, inveja dos amigos, suspeita, falta de confiança nas pessoas). É a mais importante ferida emocional. A grande dor que Jesus sentiu foi a da rejeição.

2) Sentimento de culpa: Ele acontece quando se é criado em uma família muito religiosa, em que alguns conceitos são passados de maneiras errada (Exemplo: “Papai do céu vai te castigar”; Papai do céu está vendo tudo que você está fazendo de errado”). A culpa saudável nos leva à conversão; a culpa errada nos leva a ter medo de Deus, medo do castigo eterno e a fazer coisas com medo de Deus.

3) Sentimento de inferioridade: Quando a criança nasce, ela está cheia de sentimentos de superioridade, todos olham para ela, torna-se o centro das atenções; porém quando a criança cresce, as pessoas se cansam dela, ela deixa de ser o centro. Talvez até escute dos pais expressões como: “Você é ruim”, “Você é mau (má)…”, formando uma imagem pobre de si mesma, vinda de palavras negativas que chegam a ela. Nasce com isso o sentimento de autopiedade, o ódio de si mesma e depois a autodestruição, chegando, muitas vezes, ao suicídio.

4) Medos: Não são os medos pequenos, são os que paralisam a pessoa fechando-a em si mesma, como medo da morte, medo de ficar sozinha, medo do diabo, medo da morte, entre outros.

Terceiro passo: É o mais importante. É preciso encontrar as causas profundas que o levam a ter esses problemas emocionais, buscar as fontes dos problemas das pessoas. Como está escrito no início, não basta rezar pelos sintomas, é preciso rezar pelas causas.

Atitude prática: Orar ao Espírito Santo e refletir sobre sua vida passada. A adoração ao Santíssimo Sacramento é fonte de cura e libertação. Fale para Jesus concretamente o que aconteceu com você. Se você tem facilidade, escreva e leia para Jesus. Ele nos lava e purifica de tudo o que foi deformando a imagem de Deus em nós. O que você pode ecrever?

– Seu nome (Muitas vezes as causas dos seus problemas estão relacionadas com seu nome);
– Seu sexo (Muitas vezes o problema está relacionado ao seu sexo)
– Idade (dia do aniversário, ano de nascimento);
– Ocupação (quais os cursos que você fez e faz agora);
– Coisas da sua família (seus pais, seu relacionamentos com eles, seus irmãos, onde você está na sua família , se teve alguma morte, sua situação financeira, sua história, sua raça, tudo o que você achar importante);
– Seus ancestrais (alguém que precisa de oração, os pecados que você conhece dos seus antepassados; é importante saber se há algum problema na sua árvore genealógica);
– O que você fez de errado? (para Deus, para si mesmo, para os outros) – isto é matéria de confissão. O Sacramento da Reconciliação é fonte de cura e libertação;
– O que fizeram de errado para você? (causa de aconselhamento, buscar ajuda, alguém que possa rezar pela sua cura interior)

Esse é um caminho que você pode trilhar. O monsenhor Jonas nos diz que “a restauração da pessoa começa pelo positivo. Daquilo que ela é. É a partir daquilo que Deus a fez. É a partir das qualidades, a partir das riquezas de seu ser… Tomá-las, assumi-las, e colocá-las em ação. É isso que a faz é crescer”.

Vera Lúcia Reis
Membro da Comunidade Canção Nova

Trecho retirado do livro‘A cura da nossa afetividade e sexualidade’

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.