Castidade

Como deixar o vício da pornografia?

O vício da pornografia desfigura a vivência da castidade

Tenho recebido vários e-mails de jovens que me perguntam como deixar o vício de estar na frente do computador vendo sites pornográficos. Sabemos que também há muitos filmes e revistas pornôs. Para muitos, isso já se tornou um vício, especialmente porque a internet facilita muito essa atividade negativa. Sei também que muitas pessoas casadas têm também esse vício. Às vezes, uma esposa me procura, porque surpreendeu seu esposo vendo sites pornográficos. Uma delas, apavorada, chegou a me perguntar de deveria abandoná-lo. É claro que não! Elas se sentem traídas.

Como deixar o vício da pornografia
Foto: Wesley Almeida/cancaonova.com

Antes de tudo, é preciso dizer que é condenado pela moral cristã entregar-se ao deleite da pornografia. O Catecismo da Igreja a coloca como um dos pecados contra a castidade:
§2354 – “A pornografia consiste em retirar os atos sexuais, reais ou simulados, da intimidade dos parceiros para exibi-los a terceiros de maneira deliberada. Ela ofende a castidade porque desfigura o ato conjugal, doação íntima dos esposos entre si. Atenta gravemente contra a dignidade daqueles que a praticam (atores, comerciantes, público), porque cada um se torna para o outro objeto de um prazer rudimentar e de um proveito ilícito. Mergulha uns e outros na ilusão de um modo artificial. É uma falta grave. As autoridades civis devem impedir a produção e a distribuição de materiais pornográficos”.
§2396 – “Entre os pecados gravemente contrários à castidade é preciso citar a masturbação, a fornicação, a pornografia e as práticas homossexuais”.

Não se desesperar diante do problema, ter calma e não desanimar

Portanto, o cristão não pode se entregar a essa prática pecaminosa; é preciso lutar com os auxílios da graça de Deus e da força de vontade para combater esse vício moderno. Antes de tudo, é preciso não se desesperar diante do problema, ter calma e não desanimar. O mais importante é lutar com perseverança contra isso, até que se domine a situação. Jesus disse que quem perseverar até o fim será salvo do pecado. Mesmo que se tenha uma recaída, é preciso levantar e retomar a luta.

O grande remédio que Jesus recomendou aos apóstolos contra o pecado foi “vigiar e orar” para não cair em tentação. Duas coisas: rezar bastante, pedir ajuda de Deus, da Virgem Maria, de São José castíssimo, dos anjos e santos. Comungar, sempre que possível, e pedir a Jesus Eucarístico a graça dessa libertação. Sempre que houver uma queda, confessar-se, ainda que isso se repita, pois a confissão dá forças para vencer o vício. Converse com o confessor sobre o assunto, sem medo, ele está cansado de ouvir isso e pode ajudá-lo.

Fugir da ocasião de pecado

E “vigiar”. Isso significa fugir da ocasião de pecado; e essa é um fuga heroica; não abrir nenhum site pornográfico, a revista suja nem o filme impuro; nem mesmo abrir o computador se não puder se controlar diante dele. Suplicar a força de Deus, a intercessão dos santos, da Virgem Maria nessa hora. “Algumas vezes, encontrei-me em perigo de morte, mas fui libertado pela graça de Deus” (Eclesiástico 34,13).

É muito importante você tomar a decisão de não acessar o site pornô, “por amor a Jesus” que morreu na cruz por você. Ofereça a Ele esse “jejum de pecado” e suplique que o Seu preciosíssimo Sangue o ajude. Ele vai gostar muito! E o mais importante é não desistir nunca, não desanimar, mas lutar. Às vezes, para ganhar uma guerra é preciso vencer muitas batalhas, uma de cada vez.

Fechar as janelas da alma

Uma dessas batalhas a vencer é desintoxicar a alma do veneno do sexismo, hoje espalhado por toda parte, especialmente na moda e nos meios de comunicação. Santo Agostinho gostava de lembrar que tudo o que invade a nossa alma entra pelas “janelas”, que são os sentidos: olhos, ouvidos, boca, mãos e nariz. Então, é preciso fechar as “janelas da alma” para que a tentação não entre por elas. Não permita que sua alma seja excitada sexualmente pela sujeira que entra por essas janelas.

A Bíblia nos ensina que quem abusa da ocasião cai no pecado. E o povo diz que “a ocasião faz o ladrão”, “Quem ama o perigo nele perecerá”. (Eclo 3,27)

Gostaria de dizer às esposas ou maridos que surpreendem o outro vendo filmes e sites pornográficos, que não devem se desesperar, mas ajudá-lo, com firmeza e carinho, a vencer o vício; exigir essa mudança para o bem dele e do casamento. Essa tentação é muito forte, e o “paciente” precisa ser ajudado pelo amor, pela oração da (o) esposa (o). Não é isso que deve abalar ou muito menos destruir um casamento; juntos, marido e mulher devem conversar, ajudarem-se mutuamente e vencer o problema. Será uma bela vitória de ambos, do casamento e da família.


Felipe Aquino

Professor Felipe Aquino é viuvo, pai de cinco filhos. Na TV Canção Nova, apresenta o programa “Escola da Fé” e “Pergunte e Responderemos”, na Rádio apresenta o programa “No Coração da Igreja”. Nos finais de semana prega encontros de aprofundamento em todo o Brasil e no exterior. Escreveu 73 livros de formação católica pelas editoras Cléofas, Loyola e Canção Nova. Página do professor: www.cleofas.com.br Twitter: @pfelipeaquino

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.