O poder da Eucaristia

É muito comum, nos desenhos e histórias em quadrinhos, o super-herói ter um ponto fraco. Geralmente, é um objeto que, ao tocá-lo ou se aproximar dele, faz com que perca suas forças; em alguns casos, chega a matá-lo. O exemplo mais conhecido talvez seja o super-homem e a kriptonita. Mas também é possível ver os personagens que ganham poderes quando se aproximam de alguém ou ingerem algo, assim como o Popeye, que aumenta suas forças quando come espinafre. E quanto a nós? Onde buscamos forças quando nos sentimos ameaçados?
Em nosso mundo, o espinafre não nos dá superforça, muito menos há objetos mágicos para nos dar habilidades sobre-humanas. No entanto, se pensarmos bem, há algo que pode fazer a diferença nos momentos de dificuldade.

Imagine se você tivesse acesso há algo capaz de levantá-lo todas as vezes que caísse! Ou ainda que isso fosse capaz de fazê-lo se sentir mais próximo de alguém que há muito tempo você não vê. Não sendo suficiente, que tal se isso lhe desse a vida eterna?

Um homem chamado João Maria Vianney (1786-1859) nos disse que “Ele ter-nos-ia dado algo maior se houvesse algo maior que Ele próprio”. Sim, São João Maria Vianney, padroeiro dos sacerdotes, já havia descoberto esse poderoso instrumento: a Sagrada Eucaristia. Acredite, ela é mais forte do que qualquer item que você possa encontrar nos vídeo-games ou nas armas de histórias em quadrinhos.

Se compreendêssemos o valor do que nos foi dado, iríamos em busca desse alimento todos os dias.


Assista também: “Jovem, sê forte e corajoso!”, com padre Roger Luís


“O que o alimento material produz em nossa vida corporal, a comunhão realiza de maneira admirável em nossa vida espiritual” (CIC 1392).

Já se imaginou tendo a arma mais poderosa nas mãos, aquela que você precisa, de qualquer jeito, para alcançar a meta no fim do jogo: Mas, mesmo se a possuísse, não soubesse usá-la? De que adiantaria?

Sabe quando você está no fim de uma fase no vídeo-game, lutando contra o inimigo mais forte do jogo, e parece que já está tudo perdido? Mas você daria tudo para recomeçar e fazer certo dessa vez? Bom, isso é possível. E eu não estou falando de um jogo virtual.

Este é o jogo da vida, no qual os desafios parecem ser sempre mais difíceis; diante das nossas próprias fraquezas, o classificamos como insuperável. Mas “ao dar-se a nós, Cristo reaviva nosso amor e nos torna capazes de romper as amarras desordenadas com as criaturas e de nos enraizar n’Ele” (CIC 1394).

A batalha desta vida não é fácil. Muitas vezes, precisamos recomeçar, levantar-nos depois de uma queda e sempre assumir nossa condição de filhos que clamam pela ajuda do Pai. Diante da promessa de vida eterna que nos foi feita, nada nos dá mais segurança, de que é possível alcançá-la, do que o sinal que nos é dado pela Sagrada Eucaristia.

Algumas vezes, os desafios podem se apresentar fáceis, mas a nossa autoconfiança gera descuido e nos faz vacilar. Ao fim, nos deparamos sempre com a mesma situação: de joelhos diante d’Aquele que já nos salvou antes, pedindo a chance de jogar uma outra vez.

A confiança em você é tamanha que Ele se doa por completo, de Corpo e Sangue, para que esta não seja sua última jogada. Por isso, eu lhe pergunto: E aí, já tomou sua dose de “vitamina” hoje?

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.