As cartas que não foram lidas

Estes dias, li uma parábola que dizia o seguinte: “Uma família sofria grandes dificuldades econômicas e escreveu a parentes ricos da América do Norte lhes pedindo ajuda. Pouco tempo depois essa família recebe um pacote destes parentes. Abriram-no com grande ansiedade e euforia, pois ali estava a grande chance de melhora, porém, não encontraram nada de importante, apenas algumas coisas de pouco valor material. Zangados, jogaram a embalagem no depósito, achando que os parentes ricos, além de não os ajudarem financeiramente, também queriam divertir-se à custa de sua aflição. Na limpeza geral, que eles costumavam fazer antes da Páscoa, tudo iria para o fogo, no entanto, ao rasgar o papelão interno do pacote, o filho mais novo da família descobriu um fundo duplo, no qual havia uma carta muito atenciosa e no mesmo envelope cem mil dólares“.

Quantas vezes, diante dos sofrimentos temos a mesma atitude dessa família. Na ansiedade de ver resolvido nosso problema, muitas vezes, acabamos vendo o acontecimento apenas superficialmente e jogamos no “depósito de entulhos” a riqueza que tal situação quer nos proporcionar. Tenho aprendido que, em muitas situações de sofrimento permitidas por Deus, há uma carta de amor com uma fortuna de ensinamentos escondida em algum lugar. O desafio é a acharmos e tomarmos posse do que ela nos traz.

Dessa forma, damos ao nosso sofrimento o valor que ele merece e o reconhecemos como uma graça que nos torna espiritualmente fecundos e ricos interiormente. Os fatos me fazem acreditar que somente as virtudes provadas nas tempestades da vida são capazes de atingir um grau heroico e se tornarem seguramente posse da alma.

Talvez ao longo de nossa vida já tenhamos recebido muitas “cartas” que ainda não foram lidas, as quais estão ainda nas embalagens que chegaram, entulhadas nas lembranças de nossa história.

Que tal voltarmos hoje ao “depósito de entulhos” e procurarmos ler as cartas que não foram lidas!?… Com certeza, nelas existem grandes e inumeráveis declarações do Amor de Deus e fortunas de ensinamentos nos aguardando.


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.