Perdas

Só Deus não vai embora

De maneira geral, temos muita dificuldade em lidar com perdas

Uma perda é sempre algo que nos incomoda. Pode ser a perda de uma chave, do ônibus, de dinheiro, de um sonho…. E claro, a perda de alguém. Saber lidar com perdas é uma busca constante que temos, nesses momentos tentamos nos agarrar a pequenos detalhes, a pequenas desculpas ou a soluções para nos confortar.

A morte tornou-se um tabu em nossa sociedade. Foi confinada às UTI’s dos hospitais, escondida das crianças, apagada das conversas…. Numa cultura que valoriza o prazer e o sucesso, ninguém gosta de se lembrar da existência das perdas.

Fiz uma experiência linda com uma garota que conheci em uma missão que fui. No intervalo, entre uma pregação e outra, ela apareceu, tocou em meus ombros e começou a abrir o coração. Levou-me ao dia em que perdeu a mãe. Assassinada pelo namorado com várias facadas. No primeiro instante, fiquei chocado pelo ato em si, mas depois olhando nos olhos daquela menina de 19 anos, que havia 5 anos que havia perdido a mãe, vi que não se perde ninguém quando se traz essa pessoa no coração, eternizando a quem amamos. Ela me pregou o Evangelho quando disse que não guardava rancor do assassino. Evangelho da vida!

Nos olhos daquela menina percebi que a morte em si não tem a última palavra. A vida, sim, tem a última palavra! Palavra de ressurreição! Aquela menina de olhos serenos não se perdeu de si mesma com a perda da genitora. Mas, guardando-a no coração adentrou no mistério de eternidade. Todos vão embora. Só Deus não vai embora. Mas quando guardamos o outro em Deus, este também não vai embora.

Leia mais:
.: Consolação e esperança para os enlutados
.: Luto: como superar o sentimento de culpa
.: Como viver bem as fases do luto?

De maneira geral, temos muita dificuldade em lidar com perdas. Luto não é só quando morre alguém; sofremos perdas desde que nascemos: perda de emprego, divórcio, mudanças repentinas. Também há fases do desenvolvimento humano que envolvem perdas, por exemplo, para se chegar à adolescência é preciso perder a infância. Essas são questões existenciais que precisamos enfrentar. Saber lidar com o limite é saudável, não só do ponto de vista humano, mas também do cristão.

Acredito que nos olhos daquela menina que não perdeu a mãe, aprendi que muitos morrem estando vivos. É o luto diário que vivemos. Ver os que amamos indo embora ainda estando. Uma perda que dói, pois vemos e não temos!

Mistério da ressurreição dos vivos!


Adriano Gonçalves

Mineiro de Contagem (MG), Adriano Gonçalves dos Santos é membro da Comunidade Canção Nova. Formado em filosofia e Psicologia. Atuou na TV Canção Nova como apresentador do programa Revolução Jesus. Hoje atua no Núcleo de Psicologia que faz parte da Formação Geral da Canção Nova. É autor dos seguintes livros: “Santos de Calça Jeans”, “Nasci pra Dar Certo!”, “Quero um Amor Maior” e ” Agora e Para Sempre: como viver o amor verdadeiro”.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.