Um convite à alegria

Admiro muito as pessoas que trazem sempre um sorriso nos lábios e falam de coisas boas o tempo todo. Há quem diga que elas vivem alheias aos problemas que o mundo enfrenta, e até que são indiferentes ou “tolas”. Acredito que não é por aí. Na verdade, são pessoas assim que fazem o mundo ser melhor, mais colorido, mais cheio de graça!

Estes dias, li uma declaração de Henri Nouwen em seu livro “A volta do Filho Pródigo”, que me chamou muito atenção, já partilhei com várias pessoas, mas agora desejo partilhar só com você: “…De uma coisa estou certo: queixar-se é contraproducente e nocivo. Quando expresso minhas queixas com o intento de merecer simpatia e receber a satisfação que tanto desejo, o resultado é sempre o oposto do que eu queria obter. Alguém que reclama é alguém difícil de conviver e poucas pessoas sabem como responder às queixas feitas por alguém que se rejeita. O trágico é que muitas vezes, uma vez expressa, a lamúria leva ao que mais se queria evitar: um afastamento maior.”

Já pensou no estrago que a lamuria e a reclamação fazem? Parece-me que um dos motivos que leva uma pessoa à reclamação é o desejo imenso de ser percebida, acolhida e amada, porém expresso de forma completamente errada. Segundo estudiosos, a lamuria é sinal de insatisfação interior; neste caso, o certo seria perguntar o que está acontecendo de errado, e tentar resolver. Partindo deste ponto, valorizar mais as coisas boas e belas da vida e manter o sorriso nos lábios.

Acredito que a comemoração, o sorriso, a alegria, fazem parte do Reino do Céu. Deus em sua bondade não só oferece perdão, reconciliação e cura, como deseja que nós, seus filhos, nos alegremos sempre com Ele. Quando Jesus fala em parábolas sobre o amor misericordioso do Pai, Ele deixa claro que Deus se rejubila e convida outros para que com Ele se rejubilem. “Alegrai-vos comigo, achei a ovelha que estava perdida”, diz o Pastor. “Alegrai-vos comigo, achei a moeda que estava perdida”, diz a mulher. “Alegrai-vos comigo,este meu filho estava perdido e foi encontrado”, diz o pai. Deus não guarda para Si mesmo sua alegria, Ele partilha. “A alegria de Deus é a dos Anjos e dos Santos, é a alegria de todos os que pertencem ao seu Reino.” Diz Henri Nouwen.

Percebo que as pessoas, pelo menos a maioria, não estão acostumadas a exultar por coisas simples, nem pequenas; há em geral uma sede pelo sensacionalismo, por histórias trágicas, assim como, por notícias extraordinárias, etc. Os olhos param diante das telas, que por sua vez concorrem trazendo notícias cada vez mais alarmantes. Os fatos não deixam de ser reais, o que enfatizo é que existem ótimas notícias a ser dadas e muitos motivos para nos alegrarmos.

No meu ponto de vista, alegria e bom humor é também questão de disciplina. Exige escolher a luz mesmo quando há muita escuridão para ultrapassar, optar pela vida mesmo quando as forças da morte são visíveis e eleger a verdade mesmo quando estamos de um certo modo, rodeados por mentiras.

A recompensa de quem escolhe a alegria, é a alegria em dobro. Henri Nouwen, falando sobre a alegria em meio aos desafios da vida, diz: “A alegria não anula a tristeza, mas transforma-a num solo fértil para mais alegria.”

O próprio Deus, de maneira bem clara, nos ensina o caminho da alegria em sua Palavra: “se observais meus mandamentos, permanecereis no meu amor… Eu vos digo isso para que minha alegria esteja em vós e vossa alegria seja plena.” (Jo 15,9-11)

Deus lhe quer plenamente feliz. Colabore com Ele.

Rezarei por você!


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.