Sexualidade e afetividade

Não raro, muitos jovens, incluindo adultos, sentem-se perdidos em relação à sua sexualidade, uma vez que, inegavelmente, vivemos em um mundo totalmente deturpado pelas conseqüências do pecado. Daí, nasce a seguinte indagação – Como eu, Cristão, poderei viver bem minha sexualidade e afetividade?

A palavra de Deus nos diz em 1Tes 4, 3: ‘A vontade de Deus é que sejais santos e que vos afasteis da imoralidade sexual‘. A reflexão a que me proponho fazer com você nasce de uma verdade do coração de Deus para os seus filhos – a de que sejamos santos e nos afastemos de todo mal, de toda a imoralidade sexual. No entanto, como poderemos nós não viver aquilo que o mundo vive se estamos nele? É verdade, estamos no mundo, mas não somos do mundo (cf. Jo 17,14). Jesus, ainda mesmo antes de ser entregue, rogou ao pai por cada um de nós, para que não estivéssemos sozinhos após voltar ao Pai e pediu-lhe para que não nos tirasse do mundo, mas que nos guardasse do maligno (cf. Jo 17,15).

Veja bem, o fato de estarmos no mundo, não nos garante não vivermos as coisas que nele existe. Uma delas, refere-se à sexualidade e nesse sentido precisamos entender o que Deus espera de nós, para que possamos vivê-la sadiamente. É normal nos sentirmos atraídos sexualmente pelas pessoas, pois o nosso corpo e o nosso psiquismo reagem aos estímulos naturais que acompanham cada fase do nosso desenvolvimento psico-sexual. No entanto, torna-se necessária uma boa orientação humana e cristã por parte de pais, educadores, padres e religiosos para que não vejamos a sexualidade como algo negativo, feio, que Deus não gosta.

Mas, existem alguns problemas na área da sexualidade que precisam ser bem resolvidos em nós, e um deles é o da masturbação. Primeiramente, é importante dizermos que ela existe também na fase adulta, obviamente em menor proporção do que na adolescência e que não é apenas coisa de menino – Muitas meninas e mulheres a praticam. É também fato que existe um grupo de psicólogos e sexólogos que dizem que ela é normal, natural pois faz parte do conhecimento que o adolescente deve ter do próprio corpo. Agora eu pergunto, até quando a pessoa ficará ‘conhecendo’ o seu próprio corpo se muitos adultos ainda a praticam após vários anos de um vício iniciado quando ainda eram adolescentes?

Percebemos que a ansiedade, a falta de segurança, do apoio dos pais faz com que o adolescente comece a canalizar toda a sua energia no ato masturbatório, acompanhando a própria mudança que ocorre no seu corpo nesta fase. Como resultado da erotização que o mesmo vê nas televisões, nas ruas, em revistas, em vãos pensamentos que vão lhe surgindo e que o mesmo vai alimentando em sua mente, o jovem sente-se excitado a ponto de descarregar tudo isso que ficou gravado em seu consciente e no seu inconsciente se masturbando. Daí, este ato tornar-se-á um vício que busca um prazer efêmero e egoísta. Este ato é tão perigoso que o levará a querer se masturbar todas as vezes em que presenciar uma cena mais ‘picante’ na televisão, ou até mesmo ao passar perto de uma banca de revistas.

Uma outra grave conseqüência é a de que muitas pessoas que passaram longos anos se masturbando sentem dificuldade em sentir o prazer sexual quando se casam. Pasmem, mas muitos homens, logo após terem relação sexual com sua esposa vão para o banheiro e se masturbam, achando que ela não foi capaz de ‘satisfazer-lhes’. O mesmo acontece com mulheres cujos maridos não são abertos ao diálogo e que estão preocupados apenas com sua satisfação sexual e não com o de sua parceira.

Um outro grave problema causado pela masturbação é o do aprisionamento da mente, é isso mesmo, sua mente fica tão fechada a ponto de fazer com que você não possa abraçar uma pessoa e não se excitar a ponto de levá-lo a masturbar-se. Um simples gesto, um simples olhar já é o suficiente para fazê-lo cair nesse vício. Mas o que fazer para não cair neste pecado? Fuja de todas as situações as quais você sabe que poderão levá-lo a pecar. Não sejamos ‘bobos’, me desculpa a palavra, mas sabemos o que nos faz pecar. Portanto, fuja de todas elas! Pratique um esporte, canalize sua energia fazendo uma prática esportiva que você goste, evite assistir a programas profanos, faça adoração ao Santíssimo, reze o terço, confesse todos os pensamentos e situações que o levaram a pecar para que eles não possam mais aprisionar sua mente. Assim, você viverá sadiamente a sua sexualidade que Deus criou de modo tão lindo e admirável.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.