Ser de Deus!!

Nossa conversão e nosso compromisso com Deus só serão sustentados dentro de nós mesmos se formos homens e mulheres que rezam. Tudo vai esvair, ficar esquecido, se não cultivarmos a semente. A Boa Nova do Evangelho, virá o mal para semear a má semente. O alicerce desta vida nova precisa ser alguém que reza.

Para mim, rezar significa ir à missa todos os dias, rezar o rosário todos os dias, confessar sempre que necessário, adorar o Santíssimo Sacramento, jejuar toda quarta e sexta-feira e fazer o estudo da Palavra de Deus diariamente. Não consigo conceber vida cristã que siga adiante sem ter esta matéria, esta vida de oração como alicerce, como base.

Travamos uma grande batalha em casa, no trabalho, no namoro… não se iluda. É preciso crescer no amor que existe em você e nas manifestações desse amor; na riqueza que você é, na riqueza que é sua família e sua própria vida. Você não pode perder a graça que recebeu.

Rezar não é a única forma de cultivar o que você recebeu, mas é uma delas. Que compromisso você assume para cultivar aquilo que recebeu? Somos como uma plantinha bem delicada. Suponhamos que estivéssemos quebradiços devido a muitos ventos, tempestades e falta de cuidado. Recebemos força de Deus, luz do Espírito Santo, adubo da Palavra, e agora existe um novo vigor. Existe dentro de você um novo vigor! O que fazer para essa plantinha verde e viçosa continuar crescendo? Não basta lhe dizer “cresça”.

Para cultivar a castidade, a pureza e a santidade, o alicerce da sua casa precisa ser a vida de oração, como uma planta que recebe da sua raiz vida, força e vigor.

Essa vida não acontece com uma oração, com um terço de vez em quando, indo à missa somente aos domingos… Para homens e mulheres que assumem o compromisso de conversão, não é mais possível ir às missas só aos domingos. Com a sede de Deus que temos, precisamos buscar outras oportunidades para receber o alimento que nos guarda e nos prepara para o Céu: a Eucaristia.

A confissão precisa acontecer sempre que necessário. Depois que nos encontramos com Deus, não podemos continuar tendo idéias como: “Não vou me confessar porque o padre é um pecador como eu”. O que importa é a graça que a Igreja concedeu àquele homem de Deus através do sacramento da ordem, dando-lhe, em nome de Deus e da Igreja, o poder para perdoar os nossos pecados.

Inventamos mil motivos para não termos profundidade na nossa vida espiritual, que é de fato aquilo que nos dá sustento. A boa semente que você recebeu precisa ser cuidada e a primeira coisa a fazer é resolver a sua vida de oração.

Não pense que você já está suficientemente forte para enfrentar este mundo em que vivemos. Quando achamos que já sabemos de tudo, ou que somos fortes o suficiente; por fazermos o estudo da Palavra todos os dias, por adorarmos Jesus com maior tranqüilidade e, por ter até calos nos joelhos, estamos perdidos. Um grande segredo para quem quer rezar constantemente e crescer na oração, é sempre se considerar um iniciante.

O segredo para uma vida de oração fecunda, profunda e crescente não é fazer muitas coisas. O importante é, diante do mínimo que se comprometer a fazer, faça-o com fidelidade.

Do Livro: “A cura da nossa afetividade e sexualidade”

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.