Sempre amar

José e Maria se amavam muito. Já eram casados, porém, conforme o costume dos judeus, ainda não moravam na mesma casa. Ao perceber a gravidez de Maria, José foi assolado por muitas dúvidas e passou pelo período mais difícil da sua vida.

“Tal era o projeto que concebera, mas eis que o Anjo do Senhor lhe apareceu em sonho e disse: “José, filho de David, não temas receber em tua casa Maria, tua esposa: o que foi gerado nela provém do Espírito Santo, e ela dará à luz um filho a quem porás o nome de Jesus, pois é ele que salvará o seu povo dos seus pecados” ” (Mt 1,20-21).

Foi o próprio Deus quem colocou este amor em José para amar Maria como Ele a amava. Era amor humano misturado com amor divino. Também no coração de Maria o Senhor depositou um grande amor por José. Os dois se amavam muito.

Para José, não foi fácil ver Maria grávida. Ele sabia que o filho não era dele. Mas a partir do momento em que o anjo lhe disse: “Não temas receber em tua casa Maria, tua esposa…” (cf. Mt 1,20b), ele assumiu esta ordem para si e não mais temeu. Recebeu Maria em sua casa e viveu para ser seu esposo, com tudo aquilo que significa “ser esposo”.

Na verdade, o próprio Deus respeitou a posição de José-esposo. Depois da anunciação, em situações importantes, o Senhor não fala mais a Maria, e sim ao seu marido, José. Afinal, ele era o esposo, o chefe daquela casa, o cabeça daquele lar.

(…)

Interessante: Deus começa a dar ordens para José porque, como homem, ele é a cabeça. A mulher é o coração, mas a cabeça é o homem. Deus respeitou esta linda hierarquia estipulada por Ele mesmo:

“Quero, no entanto, que saibais o seguinte: a cabeça de todo homem é o Cristo; a cabeça da mulher é o homem; a cabeça do Cristo é Deus” (1Cor 11,3).

É preciso que todo homem saiba e assuma que, querendo ou não, Cristo é sua cabeça. Esta ordem é necessária, pois o próprio Jesus tem como “chefe”, como cabeça, Seu Pai. Portanto, o homem está ligado a Cristo e dEle depende para chegar a Deus.

De forma semelhante, o homem é a cabeça da mulher, ou seja, “senhor” da mulher. Não aquele que manda e é autoritário, porque o Pai não é assim com Jesus, e este não é assim com o homem. É uma questão de serviço! Cristo se coloca totalmente a serviço do ser humano até hoje!

Assim como você, homem, é dependente de Deus, sua esposa é dependente de você.

O homem precisa assumir sua posição de chefe, de cabeça, de esposo, suas responsabilidades de marido… e também assumir que Cristo é seu chefe, sua cabeça.

No grego, a palavra “kefalé” significa, ao mesmo tempo, “senhor” e “cabeça. É uma palavra só, para os dois sentidos.

A cabeça da mulher é o homem. Não existe corpo sem cabeça. O homem que não tem Cristo como cabeça comete uma série de erros: vícios, machismo, autoritarismo, brutalidade, adultério, corrupção, orgulho, vaidade, impureza, infidelidade…

Porque não têm a cabeça, que é Cristo, esses homens acabam não assumindo sua posição de cabeça da esposa, do lar, da família; e deixam as mulheres também sem “cabeça”. Falta-lhes algo muito importante e, por isso, elas são obrigadas a assumir tudo: conduzir a família, os filhos, a casa. Porém, acredite:

“A salvação está mais próxima de nós do que no momento em que abraçamos a fé” (Rm 13,11b).

O Senhor quer que todo homem, como José, assuma o Cristo como sua cabeça. Arrependa-se dos erros do tempo da ignorância e assuma a graça de Deus, a responsabilidade que Ele lhe confere. Você precisa ter Cristo como sua cabeça, como seu Senhor. Como cabeça do lar, você precisa assumir sua família.

Há muito tempo o Senhor espera que o homem O assuma como Senhor, como cabeça. Ele sempre quis assim e por isso amou até o extremo, até a morte, para conquistá-los! O Senhor Se entregou, para nos comprar ao preço da Sua vida, do Seu sangue. Foi vida por vida!

É a hora de você assumir a posição em que Deus o colocou. Você é o esposo. O pai. Você é o cabeça. O chefe. Você precisa assumir.

A mulher precisa do esposo como cabeça. Ser cabeça não é ser mandão, autoritário, bruto, grosseiro, sem educação. É urgente você assumir seu lar, sua esposa, sua casa, sua família.

Volto a falar de um casal amigo, Osvaldinho e Eunice. Ele viveu vinte e cinco anos de casado no alcoolismo e muitas desavenças aconteceram neste tempo. Em meio a tudo, a dona Eunice dizia para seus filhos: “Ele é o pai de vocês e vocês precisam respeitá-lo”.

Ela também dizia para si mesma: “Ele é o meu esposo, aqui é o meu lugar. Eu só posso ficar ligada a uma cabeça. Se essa cabeça está bebendo demais, se só faz bobagens, não deixa de ser a minha cabeça. Eu é que devo transformá-la através da oração, esforço, luta… Amando e amando muito.

Minha cabeça é ele e eu não posso ter outra. Não adianta voltar para a casa do meu pai, nem correr pelas estradas da vida. Preciso transformar o meu marido. Preciso ajudar na conversão dele. Não posso viver sem cabeça!”.

E graças a Deus, depois de vinte cinco anos, tudo mudou. Ele encontrou Deus, conheceu os “Alcoólatras Anônimos”, deixou o alcoolismo… Tudo se fez novo… E ele se assumiu ser o cabeça daquela família. Uma grande e linda família, com 15 filhos!

Portanto, por mais duro que seja, no amor tudo se transforma! É no amor que a mulher tudo consegue. Talvez o grande problema esteja no fato de seu marido não ter Cristo ou ter vivido muito tempo sem Ele. Se Cristo não é a cabeça do seu esposo e por isso seu esposo não consegue ser a cabeça do lar, é o momento de você, com muito amor, lutar, orar, amar, esperar até que Cristo seja a cabeça dele.

Amar é muitas vezes suportar, quem sabe, durante muito tempo. É ter paciência, aguardar, perdoar “setenta vezes sete”. É duro, mas é a sua cabeça.

Ninguém teria coragem de cortar a própria cabeça e jogá-la fora. Se você “descartar” seu marido, perderá a cabeça e se perderá também. Não será feliz, nem você nem seu lar. Não a jogue fora. Transforme-a!

Mulher, se Deus deu a seu marido a graça da conversão, agarre com as duas mãos esta graça e seja você a primeira a incentivá-lo no caminho de Deus. Quantas esposas, justamente nesta hora, se fazem de vítimas.

No tempo em que o marido andava nos botequins, ficava com os amigos, chegava tarde em casa, adulterava, a mulher não se incomodava tanto. Agora que ele está em Deus, a tentação acaba pegando justamente a esposa. Vive cobrando o marido e não o deixa ter sossego. Ele está querendo assumir o Cristo como cabeça, aprender a andar com a Igreja, mas a mulher acaba atrapalhando tudo.

Por amor de Deus, não atrapalhe! É a sua cabeça! É a grande chance que você está tendo. Reze pelo seu marido, impulsione-o, encoraje-o e incentive-o. Faça-o ir à igreja e dedicar-se. Ele não vai colocar você em segundo plano. Pelo contrário, é desta forma que você vai ocupar o seu verdadeiro lugar.

Se você perder a chance que Deus lhe dá, vai perder seu marido! Depois será mais difícil “readquiri-lo”. Faça sua parte, pois se ele perder Deus, cairá facilmente nos barzinhos, botequins com os amigos, com garotas de programa, prostitutas, amantes…

Queira que seu marido seja um homem de oração e não se perturbe se ele gasta tempo com Deus. Deixe-o orar, incentive-o. Ele está tirando o atraso, correndo atrás do tempo que perdeu. Não se perturbe pelo fato de seu marido se dedicar ao serviço da Igreja, os trabalhos apostólicos que ele desempenha, grupos de oração que freqüenta. Podendo, vá com ele, esteja próxima. Fique em seu lugar como Maria ficava, tendo José na frente, sempre na frente. Você só tem a ganhar.

Um segredo para as mulheres: os homens acabam vindo para Deus pelo trabalho. Nós, homens, somos como tratores: feitos para o trabalho. Por isso, o meio de permanecermos em Deus é o trabalho de Igreja. Não tenha ciúmes de Deus. Não tenha ciúmes da Igreja.

Se seu marido está trabalhando para Deus, ele está seguro. Você não vai perdê-lo. Mas se ele voltar para o mundo, para os amigos, você já o terá perdido. Queira um marido que vive e trabalha para Deus!

Do livro: Homem e Mulher em sintonia

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.