O poder da diferença

Conta-se que um ditador grego enviou seu emissário a outro ditador a fim de pedir conselhos a respeito de princípios para melhor governar. O homem consultado levou o emissário a um milharal e lá cortou, com um bastão, todas as hastes que ficassem, um centímetro que fosse, acima do nível das outras. Depois, mandou o seguinte recado ao outro: não permita que nenhum de seus elementos seja diferente dos demais. Não permita a existência de nenhum homem que seja mais sábio, mais famoso ou até mesmo mais bonito que a massa. Faça com que todos sejam cortados até o nível comum, de modo que sejam iguais; assim todos serão escravos, meros números, todos insignificantes, sem forças para reagir.

Desta forma, os tiranos conseguiam grande êxito em seu governo, já que ninguém ousava ser diferente, por medo ou por comodismo. Nem precisavam se preocupar porque os próprios indivíduos haviam assumido a condição de “milharal nivelado”.

Fico pensando se hoje não acontece o mesmo com nossa geração. Podemos observar que existe uma atração pelo diferente, mas, na prática, são poucos os que estão dispostos a pagar o preço da diferença.

A moda comanda o vestuário, os meios de comunicação atingem o visual e por aí seguem as expressões da massa cada vez mais comuns e niveladas, como o milharal do tirano. São escravos em nome da modernidade.

Diante disso apresento uma excelente notícia: você pode ser diferente e ser feliz!

Nesses dias, ao conversar com um jovem que eu acabara de conhecer aqui na Canção Nova, percebi que ele estava triste e tinha dificuldades em falar a respeito de sua vida. Compreendi, por graça do Espírito Santo, que Deus queria tocar o coração dele naquela conversa e me dispus a tentar ajudá-lo, até que em certo momento ele desabafou: “O fato é que vivo uma fase difícil em minha vida. Depois que tive meu encontro pessoal com Cristo mudei muito e, desde então, não sou bem aceito por meus amigos. Já não curto os programas deles e acabo ficando sozinho. Minha namorada também não entendeu a mudança e terminou o namoro há pouco tempo…”

O que eu disse para aquele jovem, digo também a você que talvez esteja passando por situação semelhante: Não tenha medo de ser diferente! Alegre-se porque você é um escolhido! Talvez o que lhe falte seja encontrar o sentido da sua nova vida em Cristo e despertar para a beleza da vida que se revela na simplicidade das coisas, para as quais, antes de conhecer o amor de Deus, você não lhes dava o verdadeiro valor. A convivência familiar, por exemplo, o contato com a natureza, a leitura de livros formativos e tantos outros meios podem favorecer a felicidade. E mais: existem muitos que pensam e sonham como você. É importante procurar essas pessoas e de algum modo participar de um grupo. O isolamento não costuma gerar felicidade.
Você pode viajar, celebrar, dançar, festejar, brincar e fazer tantas coisas de que gosta. A diferença é que agora você sabe que é amado – e quem se sente profundamente amado só sabe viver para corresponder a esse amor. Tudo o que você vive tem um novo brilho, tem a marca de quem é amado e isso é ser livre.

O Senhor é fiel e bom e lhe dará o (a) namorado (a) certo (a) e os amigos certos se você perseverar buscando-O em primeiro lugar, porque a Sagrada Escritura diz: “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e tudo mais lhe será dado por acréscimo” (Mateus 6,33). Tome posse do poder da diferença em sua vida. Coragem!

Conheço pessoas que deixam de apreciar a música clássica ou a boa leitura, por exemplo, porque isso talvez as impeça de “estar na moda”. Existem ainda as que desejam ser honestas, castas e sensatas e têm formação e princípios favoráveis para serem assim, porém, acabam não sendo dessa forma, para não se tornarem diferentes dos demais. Isso poderia deixá-las fora do círculo de amizades e impossibilitaria a integração delas com o grupo, e assim por diante.

Mas qual o problema em ser diferente? Deus nos criou únicos e nos dá a liberdade de sermos originais e livres de toda e qualquer ditadura. A felicidade é alimentada pela liberdade e a liberdade plena está na verdade. “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertarᔠ(João 8,32) A verdade, que liberta, é Cristo; Ele já pagou o preço do pecado que nos escravizava. Somos livres pelo poder d’Ele.
Tomemos posse dessa graça e sejamos diferentes, sem medo! Ser diferente, por ter encontrado a “Verdade”, é um privilégio e não um peso.


Dijanira Silva

Missionária da Comunidade Canção Nova, desde 1997, Djanira reside na missão de São Paulo, onde atua nos meios de comunicação. Diariamente, apresenta programas na Rádio América CN. Às terças-feiras, está à frente do programa “De mãos unidas”, que apresenta às 21h30 na TV Canção Nova. É colunista desde 2000. Recentemente, a missionária lançou o livro “Por onde andam seus sonhos? Descubra e volte a sonhar” pela Editora Canção Nova.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.