Não tomar o nome de Deus em vão

Isto não é apenas um conselho ou uma recomendação. É mandamento de Deus. O povo do Antigo Testamento radicalizava: nem ousava pronunciar o nome que Deus revelou a Moisés na Sarça Ardente. Mas podemos pensar em coisa de outro modo. Hoje se usa o nome de Deus para justificar guerras e ataques terroristas.

Existem pessoas que, – de maneira menos violenta, mas igualmente pecaminosa –, usam o nome de Deus para conseguir seus objetivos. Lembro-me daquela mãe que dizia para sua filha que Deus lhe tinha revelado que aquele rapaz não era o ideal para ela. Nome de Deus em vão. E muitos falsos pastores enganam seu rebanho para conseguir lucro fácil: usam e abusam do nome de Deus.

Antes de dizer que Deus lhe disse, que revelou, que apareceu… pense duas vezes. É mais humilde dizer do que você ouvir Deus falar. Podemos ter visões, mas isso não significa que Ele apareceu. Podemos ter locuções, mas isso não significa que Ele falou. Costumamos criar Deus à nossa imagem e semelhança, subvertendo a ordem da criação. No fundo essa atitude pseudo-espiritual esconde uma grande presunção.

Não esqueçamos que o coração de Jesus se revela “manso e humilde”. A mansidão e a humildade são características marcantes da pessoa verdadeiramente piedosa. Deus nos deu liberdade para sermos “gente”. Vamos deixar Deus ser Deus.

Evite nomes e testemunhos muito explícitos, pois o seu comentário pode ser visto por pessoas conhecidas.